Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

IEA: preços recebidos caem 0,96% na 3ª prévia de outubro

São Paulo, 29 - Os preços recebidos pelos produtores rurais paulistas recuaram 0,96% na terceira quadrissemana de outubro, conforme dados divulgados hoje pelo Instituto de Economia Agrícola (IEA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo. No cálculo do Índice Quadrissemanal de Preços Recebidos pela Agropecuária Paulista (IqPR), os produtos de origem vegetal (IqPR-V) subiram 0,03% e os de origem animal (IqPR-A) caíram 3,41%.

Agência Estado |

O cálculo do índice (IqPR) leva em conta a participação de cada produto no valor da produção agropecuária paulista. Com a cana-de-açúcar, produto de maior peso no indicador, a queda ao IqPR acentua para 2,42% e os produtos de origem vegetal caem 1,49%.

Os técnicos do IEA comentam que a queda do indicador pela quarta quadrissemana consecutiva, "indica claramente que o papel deflator dos preços agropecuários persiste, mas de forma decrescente, tendo um menor peso na redução do ritmo inflacionário." Eles observam que os produtos de origem animal continuam com tendência de queda, enquanto os de origem vegetal quebraram a seqüência de nove quadrissemanas de queda.

Os produtos que registraram altas de preços foram batata (19,27%), feijão (11,95%), carne suína (8,79%), arroz (6,37%), cana-de-açúcar (1,14%), carne bovina (1,02%) e soja (0,64%). Segundos técnicos do IEA, os preços da batata aumentaram recuperando-se de baixa muito acentuada em setembro, quando atingiram valores inferiores a R$ 16,00 por saca, logo corresponde à volta a patamares mais consistentes com a realidade dos custos de produção.

Os produtos que apresentaram maiores quedas de preços foram carne de frango (12,75%), tomate para mesa (11,18%), ovos (10,07%), leite tipo C (6,15%), milho (5,09%) e banana nanica (5,01%). "Os produtos granjeiros, aves e ovos, além do leite tipo C, continuam com preços com tendência de queda, garantindo fontes de proteínas mais baratas aos consumidores e contribuindo de forma significava para o índice negativo", dizem os técnicos.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG