São Paulo, 21 - Os preços recebidos pelos produtores rurais paulistas subiram 3,81% na segunda quadrissemana de julho. Os dados do Índice Quadrissemanal de Preços Recebidos pela Agropecuária Paulista (IqPR) foram divulgados hoje pelo Instituto de Economia Agrícola (IEA), da Secretaria de Agricultura e São Paulo.

O indicador de preços dos produtos de origem animal (IqPR-A) subiu 7,24% e o de origem vegetal (IqPR-V) aumentou 2,42%. Os técnicos do IEA observam que o comportamento dos indicadores demonstram "a continuidade da pressão inflacionária dos preços agropecuários, principalmente os produtos de origem animal, que têm aumentado mais que os indicadores globais da inflação brasileira".

Os produtos do IqPR que registraram maiores altas na segunda quadrissemana de julho foram tomate para mesa (37,30%), laranja para indústria (22,70%), soja (13,42%), carne de frango (10,53%), carne bovina (8,85%), milho (7,77%) e leite tipo C (5,86%). A alta de preços do tomate de mesa se deve à quebra na produção, provocada pelas baixas temperaturas. O aumento de preço da laranja para indústria se deve à baixa oferta do produto, por causa da menor oferta de variedades precoces.

Os produtos que apresentaram queda de preços foram laranja para mesa (8,41%), batata (7,97%), trigo (6,15%) e amendoim (2,87%). A queda de preços da laranja de mesa se deve ao efeito safra, associado ao tradicional menor consumo de sucos caseiros nos meses de inverno.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.