Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

IEA: preço agropecuário cai 0,98% na 3ª prévia de novembro

São Paulo, 26 - Os preços recebidos pelos produtores rurais paulistas caíram 0,98% na terceira quadrissemana de novembro, mantendo a tendência baixista iniciada na segundo quadrissemana de agosto último. Os dados foram divulgados hoje pelo Instituto de Economia Agrícola (IEA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo.

Agência Estado |

Segundo o IEA, os preços dos produtos de origem vegetal (IqPR-V) recuaram 0,39% e os de origem (IqPR-A) apresentaram variação negativa de 2,45%. Os técnicos do IEA observam que quando a cana-de-açúcar é excluída do cálculo do índice, a variação do IqPR permanece negativa com maior intensidade e fecha em 3,04%. A situação também acontece para o IqPR-V, onde a variação negativa vai para 3,60%.

Segundo os técnicos, apesar de os índices estarem negativos, os números da terceira quadrissemana de novembro mostram uma tendência de alta, que é mais visível no IqPR-A (produtos animais) que recuperou quase um ponto percentual em relação a quadrissemana anterior.

Os produtos que registraram maiores altas nesta quadrissemana foram tomate de mesa (8,78%), banana nanica (5,56%), laranja para mesa (5,52%) e carne de frango (4,24%). Os técnicos atribuem a alta das cotações da carne de frango ao aumento do consumo no período. No entanto, ainda há uma boa disponibilidade do produto no mercado.

Quedas

Os produtos que apresentaram maiores quedas de preços na terceira quadrissemana de novembro foram feijão (44,55%), carne suína (22,34%), batata (20,86%), amendoim (18,94%), milho (10,17%) e leite tipo C (5,60). Segundo os técnicos, os preços do feijão continuam em queda em função da diferença entre os últimos lotes da safra de inverno e os primeiros lotes da safra de verão, que começou a ser colhida em São Paulo. Os preços dos suínos em São Paulo caíram em função da oferta de produto mais barato originado de Santa Catarina.

Os técnicos comentam que a redução de preços do amendoim não condiz com as variações observadas em anos anteriores, que foram de pequena alta nessa época do ano. "A safra paulista de amendoim 2007/08 foi 27% superior à do ano anterior (a safra da seca foi 32,5% maior) contribuindo para a redução de preços. As cooperativas de produtores de cana em São Paulo indicam o crescimento da área de amendoim em função dos baixos preços da cana-de-açúcar. Essa expansão provavelmente provoque maior queda de preços do produto na safra de verão (plantio iniciado em setembro de 2008 e auge da colheita em março de 2009). Ademais, há ainda a pressão baixista da redução do crédito para exportação."

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG