O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) está organizando o movimento Contra o Calote do Plano Verão, que repudia a intenção dos bancos de pedir no Supremo Tribunal Federal (STF) a suspensão dos processos referentes ao pagamento das perdas do Plano Verão. De acordo com a entidade, o setor financeiro estuda medidas para desobrigá-los a ressarcir os correntistas que ainda não entraram com o pedido de ressarcimento das perdas inflacionárias que tiveram em suas cadernetas de poupança por ocasião do lançamento do plano, em fevereiro de 1989.

Na avaliação do assessor jurídico do Idec Marcos Diegues, a iniciativa do setor financeiro "merece ser veementemente rechaçada pelos cidadãos e pelas instituições brasileiras porque seria o mesmo que rasgar a Constituição Federal".

A entidade realiza ainda hoje uma reunião pública na Assembléia Legislativa de São Paulo para protestar contra a intenção do setor financeiro. Também farão parte do evento a Defensoria Pública da União, a Comissão Especial de Defesa do Consumidor do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e o Procon de São Paulo.

O Idec reitera que o prazo para os correntistas afetados pelo Plano Verão entrarem com o processo para restituição das perdas é até janeiro de 2009.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.