Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Ibovespa sobe para 66.357 pontos; OGX tem maior giro do dia

O mercado conta com uma forte valorização de papéis ligados às commodities, com destaque para OGX

Valor Online |

Apesar da queda do mercado acionário americano, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) sustenta um descolamento do cenário internacional. O mercado doméstico conta com uma forte valorização dos papéis ligados às commodities, com destaque para a OGX Petróleo, que lidera os giros do dia. Próximo das 12h20, o Ibovespa subia 0,59%, aos 66.357 pontos, e movimentava R$ 2,265 bilhões.

Já em Wall Street, enquanto o índice Dow Jones cedia 0,20%, o Nasdaq recuava 0,55% e o S & P 500 registrava baixa de 0,28%. Embora as vendas estejam prevalecendo sobre as compras nas bolsas americanas, o mercado conta com alguns indicadores positivos nesta jornada. Destaque para a confiança do consumidor americano que, de acordo com estudo preliminar da Universidade do Michigan, apresentou melhora em agosto. O indicador que mede esse sentimento ficou em 69,6 pontos no período, ante os 67,8 de julho.

O gestor de renda variável da Infinity Asset, George Sanders, assinala que a proximidade do vencimento de opções sobre ações na Bovespa, que ocorre na próxima segunda-feira, está alterando a dinâmica do mercado neste pregão. "Vemos uma compra dos papéis de commodities, principalmente depois das declarações do Eike Batista. Vemos o mercado descolado de fora, diante do vencimento de opções", apontou Sanders, ressalvando que a trajetória da Bovespa ainda pode mudar ao longo dos negócios.

A OGX Petróleo anunciou ontem a descoberta de gás natural na bacia terrestre do Parnaíba, no Maranhão. A empresa informou que identificou a presença de gás ao perfurar um poço em bloco situado a cerca de 260 quilômetros da capital maranhense, São Luís. Eike Batista, presidente da OGX, estimou, com base nos resultados dessa perfuração, que o potencial de reservas na área onde detém blocos na bacia do Parnaíba pode ficar entre 10 e 15 trilhões de pés cúbicos (TCF).

Segundo o executivo, seria um volume suficiente para sustentar uma produção de 15 milhões de metros cúbicos de gás por dia, metade da capacidade de transporte do Gasoduto Brasil-Bolívia (Gasbol). Há pouco, os papéis ON da OGX lideraram as altas do Ibovespa, com valorização de 4,64%, a R$ 19,62, com o principal giro do dia, de R$ 273,6 milhões. Já os papéis PNA da Vale subiam 1,10%, a R$ 43,19, com volume de R$ 242,4 milhões, enquanto as ações PN da Petrobras avançavam 0,39%, a R$ 27,64, com negócios de R$ 147,3 milhões.

Entre as maiores valorizações do Ibovespa, destaque ainda para o setor de construção, com os papéis ON da Rossi Residencial (3,40%, a R$ 15,50) e PDG Realty (3,38%, a R$ 17,42). A Rossi registrou lucro líquido de R$ 109,3 milhões no segundo trimestre de 2010, um salto de 114% sobre o ganho líquido de R$ 51,2 milhões obtido entre abril e junho de 2009. A receita líquida da empresa somou R$ 649 milhões, um crescimento de 76% na comparação com o resultado de R$ 369 milhões obtido no segundo trimestre de 2009.

Já entre as principais quedas do índice figuravam as ações PN da TAM (-2,64%, a R$ 27,61), as units da ALL (-1,58%, a R$ 15,55) e os papéis PNA da Usiminas (-1,01%, a R$ 24,35). A TAM saiu de um lucro de R$ 555,1 milhões no segundo trimestre de 2009 para um prejuízo de R$ 154,1 milhões no mesmo trimestre deste ano, segundo o padrão contábil internacional (IFRS). Já sua receita líquida aumentou 15,1%, para R$ 2,611 bilhões.

Leia tudo sobre: açõesOGXbolsaRossiPDG RealtyALLUsiminas

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG