SÃO PAULO - Passado um período de maior volatilidade no início do pregão, quando o Ibovespa marcou 64.398 pontos na mínima do dia, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) registra alta nos negócios, seguindo a direção do mercado americano.

SÃO PAULO - Passado um período de maior volatilidade no início do pregão, quando o Ibovespa marcou 64.398 pontos na mínima do dia, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) registra alta nos negócios, seguindo a direção do mercado americano. A agenda esvaziada de indicadores e o vencimento quádruplo em Wall Street - quando expiram, ao mesmo tempo, os contratos futuros sobre índices acionários e de ações, e as opções sobre índices e sobre ações -, entretanto, continuam a favorecer um movimento de instabilidade nesta sexta-feira. Por volta das 12h40, o Ibovespa subia 0,36%, alcançando 64.773 pontos, com giro financeiro de R$ 2,66 bilhões. No mesmo horário, em Wall Street, o índice Dow Jones tinha elevação de 0,28%, enquanto o Nasdaq avançava 0,32% e o S & P 500 marcava alta de 0,21%. "O mercado brasileiro acompanha a tendência ditada lá fora. Os relatórios sobre os testes de estresse no sistema bancário espanhol afastaram um pouco o temor de solvência no país, um quadro que parecia bem ruim para o mercado em geral. A Europa está iniciando um processo de resolução da questão fiscal, mas é ainda cedo para dizer que o assunto está em segundo plano", comentou o economista-chefe da SulAmérica Investimentos, Newton Rosa. No mercado local, as ações de maior peso sobre o Ibovespa seguem operando em direções opostas. Há pouco, os papéis PN da Petrobras subiam 0,27%, a R$ 29,60, com giro de R$ 124,9 milhões, enquanto as ações PNA da Vale recuavam 0,41%, a R$ 41,05, com volume negociado de R$ 1,133 bilhão. As maiores altas do Ibovespa partiam dos papéis ON da LLX Logística, com valorização de 2,29%, a R$ 8,03, das ações ON da Eletrobrás, com apreciação de 2,13%, a R$ 24,87, e de Fibria ON, com avanço de 2,13%, a R$ 30,17. Está previsto para ainda hoje a Eletrobras anunciar os resultados completos do primeiro trimestre, o que inclui os números de Furnas. A comunicação deve ocorrer após o fechamento do mercado. Na ponta oposta, as quedas mais marcadas vinham dos papéis ON da Redecard, com desvalorização de 1,10%, a R$ 28,68, das ações ON da CSN, com recuo de 0,92%, a R$ 26,90, e de Telemar ON, com baixa de 0,89%, a R$ 38,60. Fora do Ibovespa, destaque para os recibos de ações da Laep, que disparavam 8,16%, a R$ 1,06. Ontem, o acordo entre a Monticiano Participações, da GP Dairy, e a Laep Investments, que formou um grande consórcio no setor de lácteos, teve mais um passo decisivo. As condições precedentes para a transferência de marcas da Laep ao capital da Monticiano foram concluídas e uma assembleia de acionistas será realizada "no menor prazo possível" para apreciar a operação. Ainda no mercado brasileiro, o fluxo estrangeiro na Bovespa estava negativo em R$ 90,8 milhões no acumulado do mês, até o dia 16, resultado de compras no valor de R$ 17,593 bilhões e de vendas de R$ 17,684 bilhões. Apenas na última quarta-feira, quando o Ibovespa subiu 0,48%, o investidor não residente retirou R$ 387,8 milhões do mercado brasileiro. No ano, o resultado da atuação do investidor internacional na Bovespa segue negativo, em aproximadamente R$ 2,88 bilhões. (Beatriz Cutait | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.