A renovação dos temores de que as principais economias do mundo estejam caminhando para a recessão e a piora do sentimento de aversão ao risco comandam hoje o clima na Bovespa, cujo principal índice cai pressionado sobretudo por Petrobras, Vale, bancos e construtoras. Do lado oposto, as ações ON do Banco Nossa Caixa disparam com o noticiário relativo à venda da instituição e papéis do setor elétrico mostram ganhos elevados.

Às 13h57, o Ibovespa recuava 4,07%, para 36.246 pontos, minutos depois de registrar seu pior desempenho do dia até então, quando cedia 4,32%, aos 36.153 pontos. Em Nova York, os principais índices também registravam queda, o que colaborava para o resultado negativo da Bolsa brasileira: o Dow Jones perdia 2,17%, o Nasdaq caía 2,29% e o S&P-500 recuava 2,38%.

Nossa Caixa ON se destacava entre as maiores altas do Ibovespa, com ganho de 9,05%. Segundo operadores, o papel reage à notícia de que o governo de São Paulo e o Planalto teriam fechado o preço de venda do banco estadual, em R$ 6,4 bilhões, conforme reportagem publicada pelo jornal Folha de S.Paulo. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, porém, negou a notícia. Antes, a ação chegou a subir 16,8%.

As ON do Banco do Brasil caíam 6,04%. Além das apostas em torno das negociações para compra da Nossa Caixa, o papel também é influenciado pela notícia de que a instituição vai emprestar R$ 4 bilhões aos bancos de montadoras, com o objetivo de ampliar a liquidez nesse segmento.

Unibanco Unit perdia 4,95% no mesmo horário, Bradesco PN recuava 4,04% e Itaú PN caía 5,17%, em dia de realização de lucros em praticamente todo o setor financeiro. Mais cedo, o Unibanco informou que teve lucro líquido de R$ 704 milhões no terceiro trimestre deste ano, queda de 41,3% em relação ao mesmo período do ano passado.

Vale ON perdia 4,58% e Vale PNA caía 4,73%, colocando forte pressão sobre o índice. As ações, segundo operadores, recuam com a queda nos preços dos metais e novas notícias de redução de produção mundo afora, o que reforça a expectativa de cenário complicado para a mineradora nos próximos meses. Petrobras ON cedia 7,61% e Petrobras PN caía 6,39%, com os investidores reagindo à desvalorização do petróleo nos mercados internacionais.

As construtoras também recuam em bloco hoje, entre as maiores baixas do Ibovespa. Cyrela ON caía 10,68%, Rossi Residencial ON perdia 7,50% e Gafisa ON recuava 13,51%. "Esse setor é um dos primeiros a sentir a desaceleração da economia", comentou um analista de renda variável.

Na ponta oposta, papéis do setor elétrico, considerados defensivos em razão do elevado pagamento de dividendos e pelo fato de suas receitas estarem atreladas à inflação, dominam os ganhos do Ibovespa. Cesp PNB ganhava 10,67%; Cemig PN, 1,97%; e Eletrobrás PNB, 1,26%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.