A bolsa brasileira hoje acompanha o cenário externo, em dia fraco de indicadores tanto no mercado interno quanto externo. Antes das 13h, o Ibovespa virou e passou a subir, com alta de 0,22% às 13h02 aos 66.

577 pontos, com giro de R$ 1,96 bilhão, recuperando a tendência de alta. Entretanto, às 13h15, voltou a cair 0,10%, para 66.368. Ontem, a bolsa fechou em alta de 0,19%, aos 66.431 pontos.

Hoje, a expectativa é de que o Ibovespa siga acompanhando NY. "Ainda que caia e volte para os 65 mil pontos, a bolsa brasileira não perderá a tendência de alta", diz um operador. Em novembro, até agora, o ganho do Ibovespa é de 6,6%, e a alta acumulada no ano é de cerca de 74%.

Da safra de balanços, nada que chame muito a atenção, já que a maioria dos resultados divulgados hoje veio em linha com as expectativas do mercado. A grande expectativa é com o anúncio de Petrobras amanhã, que divide a opinião de analistas. Não se sabe se o provisionamento de R$ 2 bilhões para o pagamento de tributos atrasados referentes ao campo de Marlim será lançado no terceiro ou no quarto trimestre, e embora seja consenso que o aumento no preço do petróleo ajudará o resultado do período, a maioria das corretoras e bancos de investimento prevê queda no lucro líquido, em torno de 33%, para R$ 7 bilhões na comparação com o terceiro trimestre de 2008.

As ações da petrolífera às 13h02 estavam em alta. As ações ON subiam 0,16% e as PN, 0,59%. Na semana que vem, a terceira do mês, ocorrerá o vencimento de opções de ações na BM&FBovespa, o que já está mexendo com as ações de Petrobras e Vale, as mais líquidas do índice e portando com maior volume de opções negociado.

No caso da mineradora, as ações de Vale ON sobem 0,10% e as PNA caem 0,07%. Vale e siderúrgicas acompanham as cotações dos metais, que seguem caminhos divergentes hoje em Londres. Especificamente no níquel, pesam as notícias de que a produção na China em outubro aumentou 40,7% em relação a igual período do ano passado e de que a Vale vem treinando pessoal não sindicalizado na operação de sua fundição em Sudbury, no Canadá, e pode retomar o trabalho no local.

Na safra de balanços do terceiro trimestre, Banco do Brasil, TAM, AmBev, Pão de Açúcar já informaram seus resultados. Após o fechamento serão divulgados os balanços de BRF Brasil Foods, Friboi e CCR.

Pão de Açúcar PNA lidera as baixas do Ibovespa, com queda de 2,66% às 13h05, seguida por Gerdau Metalúrgica -2,19%, AmBev -2,01%, VCP 1,97%, JBS Friboi -2,14%, Souza Cruz ON -1,92%, Gerdau -1,62%, e Cesp 1,64%.

Já nas maiores altas aparecem Lojas Renner +2,90%, Banco do Brasil + 2,35%, Duratex +1,74%, Gol +1,41%, Celesc +1,27%, Telemar ON +1,08% e B2W +1,02%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.