Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Ibovespa ensaia recuperação e abre em alta

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) iniciou os negócios desta semana em alta, ensaiando uma recuperação com o intuito de reduzir as perdas acumuladas no mês de julho, que ultrapassam 10%. Por volta das 10h10 (de Brasília), o índice Bovespa subia 1,30%, a 57.

Agência Estado |

940 pontos, na pontuação máxima do dia até o momento.

O Ibovespa já perdeu 22,2% desde a máxima histórica obtida no dia 20 de maio deste ano, quando fechou a 73.516 pontos. Na semana passada, o Ibovespa voltou aos 57 mil pontos, pressionado por fortes saídas de investidores estrangeiros. O Ibovespa amargou na semana passada uma queda de 4,65%, que elevou a desvalorização mensal para 12,02% e a anual, para 10,47%.

Porém, o mercado local segue vulnerável, diante da ausência de investidores estrangeiros, peças cruciais em um eventual processo de recuperação consistente. Além disso, o pregão da última sexta-feira (dia 25) trouxe um vendedor com perfil diferente: os fundos locais de varejo. Até então, os fundos locais não apareciam tão intensamente na venda, mas isso, aparentemente, mudou, segundo uma fonte.

No exterior, os índices futuros das Bolsas de Nova York sinalizam uma abertura em alta em Wall Street hoje, com o mercado reagindo, ainda que timidamente, à informação de que o Senado dos Estados Unidos aprovou, no último sábado (dia 26), uma lei com objetivo de resgatar o combalido setor imobiliário americano. "A aprovação já era esperada diante do quadro deteriorado do setor nos EUA", comentou uma fonte. Entre outros pontos, a nova legislação dá um financiamento de emergência para as agências governamentais da área habitacional: Fannie Mae e Freddie Mac. Nas últimas semanas, incertezas sobre a capacidade de solvência das duas instituições provocaram grande instabilidade no mercado financeiro.

Ações

As atenções hoje se voltarão para a estréia dos negócios com as ações da LLX Logística, do grupo EBX, do empresário Eike Batista, e da Iron X Mineração, no Novo Mercado da Bovespa. As duas companhias foram criadas a partir da cisão parcial da MMX Mineração, do grupo EBX, cuja ação ordinária (ON) fechou a R$ 43,50, com alta de 5,58%. As ações ordinárias da LLX terão o código LLXL3 e as da Iron X Mineração, código IRON3.

Pela manhã, a MMX Mineração e Metálicos informou que a venda de ativos para a mineradora Anglo American será concluída até a terça-feira da semana que vem (dia 5 de agosto). Em face da investigação da Polícia Federal (PF) sobre licitação no Amapá, no sistema MMX, o empresário Eike Batista ofereceu uma indenização pessoal, a qual não gerará qualquer obrigação adicional para a MMX, que cobrirá qualquer prejuízo eventual que possa vir a ser incorrido pela Anglo American como resultado dos trabalhos da PF. Ainda segundo a MMX, a Anglo American aceitou os termos e condições da indenização, restando apenas o cumprimento das condições contratuais finais para a finalização da transferência do controle da Iron X, empresa que controla o projeto de minério de ferro Minas-Rio e o Sistema de minério de ferro Amapá, para a Anglo.

Já em relação à temporada de balanço no segundo trimestre deste ano, a processadora de alimento Perdigão divulga hoje seus resultados financeiros no período. A expectativa de analistas é que a empresa apresente lucro líquido de R$ 53,7 milhões, resultado 24% inferior ao apurado no mesmo período de 2007. As ações podem fazer ajustes antecipados aos números, que só sairão após o fechamento do pregão.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG