A queda de 6% do índice Bovespa apenas nos dois primeiros pregões deste mês, depois do tombo de 10,44% acumulado em junho, não foi suficiente para atrair compradores ao mercado acionário brasileiro no pregão desta manhã. A Bolsa de Valores de São Paulo abriu volátil, chegou a subir 0,81% na máxima, mas voltou a cair novamente, com investidores estrangeiros na ponta vendedora.

Os papéis preferenciais (PN) de Gol e TAM exibiam quedas expressivas, enquanto Vale reagia ao anúncio de mais detalhes sobre a planejada oferta global de ações da mineradora. Petrobras PN, a ação mais negociada, abriu em alta e perdeu força, recuando 1,89% por volta das 12h05.

"Os estrangeiros só querem saber de vender. Aqui não anda, mesmo com a alta das Bolsas de Nova York hoje, porque tem muito investidor externo fazendo uma pausa nas posições que detém", comentou um operador.

O descolamento entre a Bovespa e Wall Street pode ser explicado, em parte, pela semana mais curta nos Estados Unidos, em razão do feriado pelo Dia da Independência, amanhã. Isso faz com que investidores dos EUA tenham apenas hoje para realizar os ajustes que julguem necessários em suas carteiras com ativos brasileiros.

De uma maneira geral, a tendência para o mercado de renda variável no Brasil e no exterior continua negativa no curto prazo. Os motivos que pressionam o mercado, segundo profissionais, permanecem os mesmos: medo da inflação, perspectiva de aumento de juro pelos bancos centrais e, com isso, desaceleração do crescimento global.

Às 12h16, o Ibovespa registrava variação negativa de 0,10%, aos 61.042 pontos, depois de ter perdido 1,76% na mínima até este horário. O giro financeiro era de R$ 2,16 bilhões, com previsão de terminar a sessão em R$ 6,12 bilhões.

O mercado acionário norte-americano encerra o pregão regular desta quinta-feira às 14 horas (de Brasília) e amanhã não abre. Os principais índices de ações em Nova York estão em terreno positivo (Dow Jones com +0,93% e Nasdaq com +0,28%).

Na Bovespa, a Gol, que controla a companhia aérea de mesmo nome e também a Varig, informou ao mercado que espera margem operacional negativa no segundo trimestre, pelo padrão norte-americano de contabilidade. A empresa, assim como todo o setor aéreo, vem sofrendo com as sucessivas altas no preço do petróleo, já que parte relevante dos custos desta indústria está no querosene de aviação.

Gol PN recuava 4,17% e puxava TAM PN, que tinha desvalorização ainda maior, de 5,93%. Outras quedas expressivas no Ibovespa, como na véspera, eram as siderúrgicas, que ficaram entre as principais altas do mercado na primeira metade do ano. Usiminas ON e PN caíam 3,06% e 3,07%, enquanto CSN ON perdia 2,94%.

As ações de empresas do setor imobiliário também sofriam, ainda com expectativas de aperto monetário no País, o que poderia ter impacto sobre o crédito, fundamental para a expansão do segmento. Os destaques negativos eram as ordinárias de Cyrela (-4,49%), Gafisa (-1,09%) e Rossi Residencial (-1,40%).

As blue chips Vale PNA e ON também cediam, com -0,23% e -0,50%, respectivamente, enquanto investidores digeriam detalhes da oferta primária de ações da mineradora. Pouco antes da abertura da Bolsa, a empresa anunciou que planeja lançar em 4 de julho ou após essa data uma oferta global de até 256.926.766 ações ordinárias e 164.402.799 ações preferenciais - sem incluir qualquer exercício de opções suplementares pelos coordenadores. A empresa informou que seus acionistas residentes no Brasil possuirão o direito de subscrever ações na oferta brasileira com prioridade.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.