Tamanho do texto

As ações da Vale se destacam em alta hoje e colaboram para que o Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo, registre elevação superior a 2%, apesar dos ganhos apenas leves observados no mercado de Nova York e da divulgação de dados piores do que o esperado para a produção industrial brasileira. Às 13h49, o Ibovespa avançava 2,15%, aos 39.

497 pontos, seu melhor desempenho no dia até então. Em Nova York, o índice Dow Jones subia 0,49%, o Nasdaq tinha elevação de 0,26% e o S&P-500 avançava 0,55%.

Nas mesas de operação, paira a dúvida sobre o olhar que o investidor, que ainda aguarda o desenrolar do pacote de quase US$ 900 bilhões do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, está lançando sobre os indicadores econômicos. "Não fica muito claro se o mercado está olhando para trás ou já está olhando para frente no que diz respeito a esses números", comentou um operador.

Mais cedo, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que a produção industrial brasileira caiu 12,4% em dezembro ante novembro, na série com ajuste sazonal. Com a queda, o setor voltou ao patamar de produção de março de 2004.

Por volta do horário citado, Vale ON, em alta de 4,77%, e Vale PNA, com ganho 4,25%, figuravam na relação de maiores altas do índice, em dia de valorização dos metais no exterior. Conforme operadores disseram à agência Dow Jones, os metais parecem estar se consolidando em um certo intervalo de preços, mas isso não indica qualquer tendência de médio prazo. "Há quem diga que as commodities (matérias-primas) já caíram demais. Pode haver investidor operando com base nisso", afirmou o assessor de investimentos.

Apareciam ainda entre as maiores altas do Ibovespa Gerdau PN (+6,05%), Metalúrgica Gerdau PN (+5,99%), Cyrela ON (+5,50%) e Gafisa ON (+3,15%). Segundo operadores, a presença das grandes construtoras entre as maiores altas do Ibovespa pode refletir a expectativa em torno do pacote de estímulo à construção em preparação pelo governo federal.

Petrobras PN ganhava 2,35% e Petrobras ON, 2,59%. Na Bolsa Mercantil de Nova York, o petróleo mostrava ganho de 1,07%, para US$ 40,51 por barril.