Após resistir à oscilação dos índices acionários norte-americanos em boa parte do dia, a Bolsa de Valores de São Paulo sucumbiu à influência de Wall Street, com a ampliação das perdas nas Bolsas em Nova York esta tarde. O índice Bovespa apagou a alta e passou ao território negativo.

Na seqüência, os mercados acionários nos Estados Unidos reduziram as perdas, e o índice paulista retomou a trajetória positiva, mas logo passou a oscilar sem uma direção definida.

Às 15h48, o Ibovespa perdia 1,45%, aos 40.237 pontos, na mínima do dia até este horário. Em Nova York, o Dow Jones cedia 3,03%, o S&P-500 recuava 2,95% e o Nasdaq perdia 4,78%.

Participantes do mercado não souberam apontar um evento específico que justificasse a aceleração dos declínios em Wall Street, que contaminou a Bovespa. "É natural alguma correção hoje no mercado brasileiro, tendo em vista a alta de ontem (14,66%)", disse um operador, avaliando que é tranqüilo o quadro nas operações domésticas. No exterior, o profissional lembra que, diante de qualquer movimento mais forte ou susto, os investidores não esperam para ver e vendem ações, o que explica uma ampliação da queda.

O volume de negócios na Bovespa estava em R$ 4,97 bilhões. As ações mais negociadas são Petrobras PN (queda de 1,34%) e Vale PNA (recuo de 2,66%).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.