Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Ibovespa abre em baixa, à espera de votação de pacote

O clima de cautela deve prevalecer nos negócios hoje enquanto os investidores esperam a votação nos Senado dos Estados Unidos de uma nova versão do pacote de socorro às instituições financeiras, prevista para depois do pôr-do-sol, quando terminam as celebrações do ano-novo judaico. O medo do mercado é de que enquanto aguarda a votação apareçam mais vítimas no setor financeiro.

Agência Estado |

Às 10h20 (de Brasília), o índice Bovespa caía 1,08%, a 49.007 pontos, e registrava um volume financeiro de R$ 144 milhões. Na mínima até este horário, o indicador já cedeu 1,28%, a 48.907 pontos.

De maneira geral, os ânimos estão um pouco mais serenos. A percepção é de que o pacote será aprovado, o que não se sabe ao certo é que mudanças os parlamentares vão fazer na proposta enviada ao Congresso e que foi rejeitada na segunda-feira (dia 29) pela Câmara. É dado como provável o aumento do valor dos depósitos garantidos de US$ 100 mil para US$ 250 mil e a prorrogação de créditos fiscais para empresas e para projetos de energia renovável. Além disso, comenta-se que o pacote poderá incluir também mudanças nas regras contábeis de ajuste no valor dos ativos ao valor de mercado, conhecidas como "marcação a mercado".

A expectativa é de que a Bovespa continue apresentando um volume ainda reduzido de negócios. A trégua do mercado ontem, depois do terremoto da segunda-feira, foi puramente um movimento de correção técnica. O Ibovespa subiu 7,63%, a 49.541,27 pontos, fechando setembro com perda de 11,03%. A melhora de ontem foi "forçada" para que as carteiras terminassem o trimestre com um desempenho menos pior, segundo um analista.

Aqui, prossegue a expectativa de que sejam anunciadas medidas para amenizar os efeitos da crise no País. Alternativas para melhorar o crédito a exportadores estão em estudo, segundo confirmou ontem o ministro do Desenvolvimento, Miguel Jorge. Mas outras medidas podem vir, incluindo novas mudanças nos compulsórios e mais crédito do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O orçamento pode ser revisto, diante de mudanças na projeções, segundo a edição de hoje do jornal O Globo.

A piora nas condições de crédito teria levado a Visanet a suspender temporariamente a sua oferta inicial de ações, que está em análise na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), segundo o jornal Valor. São acionistas da Visanet Bradesco (39,2%), BB Investimentos (31,6%) e Banco Real (14,22%).

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG