Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Ibovespa abre em alta, à espera de balanço da Petrobras

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) iniciou a semana em alta, de olho no comportamento do petróleo e no balanço do segundo trimestre da Petrobras, a ser divulgado hoje, após o fechamento do mercado doméstico. Por volta das 10h15 (de Brasília), o Índice Bovespa subia 0,53%, a 56.

Agência Estado |

886 pontos, após avançar 0,57%, a 56.909 pontos, na máxima do dia até o momento.

Sem indicadores econômicos dos Estados Unidos previstos para o dia, o petróleo é o fio condutor dos negócios aqui. Após ter fechado a última sexta-feira (dia 8), na casa dos US$ 115,00 o barril em Nova York, a matéria-prima (commodity) inverteu o sinal de alta e é negociada em baixa na manhã de hoje, em meio ao conflito entre a Geórgia e a Rússia. Com isso, as ações de Petrobras, que vêm sendo bastante punidas pela desvalorização do petróleo, podem sofrer alguma pressão da commodity, mas tendem a ser impulsionada positivamente pela expectativa favorável com o resultado trimestral.

A companhia deve apresentar lucro líquido de R$ 7,9 bilhões no segundo trimestre, de acordo com a média das estimativas de seis corretoras. Se confirmado, o número representará crescimento de 16% ante mesmo período do ano passado e será o segundo maior lucro trimestral da história da Petrobras, ficando atrás somente do recorde de R$ 8,141 bilhões obtido no quarto trimestre de 2005. Já o comportamento dos metais não sinaliza um dia muito animador para a Vale. Às 10h10, as ações ordinárias (ON) e preferenciais (PN) da estatal petrolífera subiam 0,88% e 0,89%, respectivamente, enquanto as ações PN classe A (PNA) da mineradora recuavam 0,14%.

Além da Petrobras, a companhia de energia elétrica Cemig também anuncia o balanço do segundo trimestre, após o fechamento. Aliás, esta última semana da temporada de divulgação de balanços inclui nomes de peso como as siderúrgicas Usiminas e CSN, os bancos do Brasil e a Nossa Caixa, as companhias aéreas Gol e TAM, além das empresas de energia Eletrobrás, Copel e Eletropaulo; Bovespa e AmBev completam a lista.

Energia

O setor elétrico, particularmente a Eletrobrás, está sob os holofotes esta semana com a definição, prevista para hoje e amanhã, do projeto de construção das usinas do Rio Madeira, em Rondônia. No caso da Usina de Santo Antônio, arrematada em leilão em dezembro passado pelo consórcio liderado por Furnas e Odebrecht, o Ibama deve liberar hoje a licença de instalação, que autoriza o início das obras. Mas antes disso, a Agência Nacional de Águas (ANA), deve emitir a outorga para o uso da água do Rio Madeira. Já com relação a Jirau - cujo projeto foi conquistado em maio pelo consórcio liderado pela multinacional francesa Suez - a expectativa é de que o contrato de concessão seja assinado amanhã.

Além disso, a Aneel anunciou no sábado, por meio de nota à imprensa, que vai alterar o cronograma do leilão de energia nova, marcado para a terça-feira da semana que vem (dia 19). Segundo a agência, está suspensa a data de amanhã para os investidores interessados depositarem as garantias que confirmam sua participação na disputa. A Aneel ainda não marcou uma nova data para a apresentação das garantias. Às 10h15 (de Brasília), as ações ON e PN classe B (PNB) da Eletrobrás subiam 1,11% e 1,16%, respectivamente.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG