Tamanho do texto

A gigante do software Microsoft perdeu posição para a IBM em 2008 na lista das cem marcas mais valiosas do mundo, elaborada pela consultoria especializada em avaliação de marcas Interbrands.

Acordo Ortográfico

No topo do ranking, pelo oitavo ano consecutivo, está a Coca-Cola, cuja marca é avaliada em US$ 66,667 bilhões.

A IBM, em segundo lugar, vale US$ 59,031 bilhões e a Microsoft, que figurava na segunda posição no ano passado, passou à terceira colocação - a marca da empresa de Bill Gates vale US$ 59,007 bilhões.

"A diferença é sutil, mas mostra que a IBM acertou ao sair do negócio de PCs e se posicionar como uma empresa de soluções em informática. Ao mesmo tempo, a Microsoft passou por alguns contratempos, como a aposentadoria de Gates e os problemas com o Windows Vista, que influenciaram no valor de sua marca", diz Alejandro Pinedo, diretor-geral da Interbrands no Brasil.

A lista sugere ainda que as marcas ligadas às áreas de tecnologia e internet vêm ganhando destaque e galgando posições. O maior exemplo é o Google, décima posição no ranking, cuja marca hoje está avaliada em US$ 25,590 bilhões. Em três anos, a marca subiu dez posições, com crescimento de 107% - em 2006, valia US$ 12,4 bilhões. Além do Google, cujo valor da marca cresceu 43% nessa edição do ranking, as marcas que mais se valorizaram foram Apple (+24%), Amazon.com (+19%) e Zara (+15%).

As marcas que mais sofreram desvalorização foram Ford (-12%), Citi (-14%), Morgan Stanley (-16%), GAP (-20%) e Merrill Lynch (-21%). A forte presença de grupos financeiros entre as maiores quedas é um reflexo da atual crise do sistema financeiro americano. "Todos os grandes grupos financeiros perderam em valor de marca em 2008. Mas a marca forte costuma ser um ativo menos volátil para as empresas, um porto seguro", diz Pinedo.

As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Leia mais sobre as marcas mais valorizadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.