Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

IBGE: rebanho bovino teve redução de 3% em 2007

Rio, 26 - O efetivo bovino brasileiro sofreu uma redução de 3,0% entre 2006 e 2007, passando de 205.886.

Agência Estado |

244 para 199.752.014 de cabeças de gado no período, segundo mostra a Pesquisa da Produção Agropecuária Municipal, divulgada hoje, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O estudo mostra que a queda no efetivo bovino foi ainda maior (-5,0%) nos municípios que formam a Amazônia Legal (todos os da região Norte e alguns do Maranhão e de Mato Grosso), embora, na comparação entre os anos de 1997 e 2007, registre-se um crescimento de 78% no número de animais nessa região. Segundo a pesquisa, 69,575 milhões de cabeças de gado bovino estão na Amazônia Legal, o equivalente a 34,8% do rebanho nacional.

A maioria dos Estados do País apresentou redução do efetivo de bovinos em 2007, na comparação com 2006, exceto, por ordem decrescente de variação positiva, Alagoas (8,0%), Pernambuco (6,0%), Bahia (5,8%), Paraíba (4,3%), Ceará (3,0%), Distrito Federal (2,9%), Minas Gerais (1,7%), Santa Catarina (0,8%) e Sergipe (0,6%). Segundo a pesquisa, rebanhos importantes, como os do Paraná (-12,3%) e do Mato Grosso do Sul (-8,0%), apresentaram quedas significativas ante o ano anterior.

Segundo comentários dos técnicos do IBGE no documento de divulgação da pesquisa, que é relativa a 2007, "a descapitalização dos produtores em 2006 levou a desinvestimentos na produção de bovinos que podem ter refletido na redução de rebanho apurada na pesquisa". O texto ressalta que, ao contrário de 2006, o ano passado "foi bom para a pecuária bovina quando se avalia o preço das carnes posto no mercado. A demanda aquecida e a oferta restrita, interna e externamente, de proteína animal, manteve os preços da carne e do leite elevados, registrando-se valores recordes nos preços pagos aos produtores".

Apesar de um ano bom como um todo para os produtores de bovinos, os técnicos destacam que a situação piorou um pouco no segundo semestre de 2007, quando a elevação do preço de insumos básicos da produção animal causou maior pressão sobre os custos de produção e a lucratividade dos pecuaristas.

A pesquisa revela ainda que os maiores efetivos bovinos estão em Mato Grosso (12,9% do nacional), Minas Gerais (11,3%) e Mato Grosso do Sul (10,9%), os dois últimos trocaram de posição em 2007, tendo Minas Gerais assumido o segundo lugar. Em termos municipais, os maiores efetivos de bovinos estão em Corumbá (MS), São Félix do Xingu (PA) e Ribas do Rio Pardo (MS), que mantiveram as mesmas posições no ranking ocupadas em 2006.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG