Tamanho do texto

A produção industrial cresceu em dez dos 14 locais pesquisados em junho ante o mês anterior, na série com ajuste sazonal, segundo divulgou nesta manhã o IBGE. Os Estados do Rio Grande do Sul (6,5%) e Ceará (5,7%) apontaram os avanços mais acentuados no mês.

Goiás (4,0%) e São Paulo (2,8%) foram os outros locais que avançaram acima da média nacional (2,7%, segundo divulgou o instituto no final da semana passada). Entre as quatro áreas que registraram queda na produção, as maiores perdas ficaram com Bahia e Espírito Santo, ambos com recuo de 2,9%.

Os dados da produção regional do IBGE mostram que, dos 14 locais pesquisados, apenas Santa Catarina mostrou queda (-2,0%) na produção em junho ante igual mês do ano passado. Os demais resultados foram positivos: Amazonas (3,2%); Pará (7,2%); Ceará (4,0%); Pernambuco (1,8%); Bahia (1,3%); Minas Gerais (6,3%); Espírito Santo (11,4%); Rio de Janeiro (4,2%); São Paulo (10,3%); Paraná (12,7%); Rio Grande do Sul (5,4%) e Goiás (16,6%). Na média da indústria, segundo divulgou o IBGE na semana passada, houve aumento de 6,6% na produção nessa base de comparação.

Resultado semestral

A pesquisa mostra também que todos os 14 locais pesquisados pelo IBGE mostraram expansão da produção industrial no primeiro semestre deste ano, ante igual período do ano passado. O destaque, em termos de magnitude da taxa, foi o Espírito Santo (16,1%), seguido por Paraná (11,3%), Goiás (11,1%), São Paulo (9,8%), Pernambuco (7,9%), Amazonas (7,5%) e Minas Gerais (6,6%). Segundo comentam os técnicos do instituto no documento de divulgação da pesquisa, "na maioria desses locais, confirma-se o padrão de crescimento observado para o total da indústria brasileira ao longo de 2008, uma vez que suas estruturas industriais têm forte presença de setores produtores de bens de capital e de bens de consumo duráveis, além da elevada produção de commodities exportadoras".
Os demais resultados semestrais foram os seguintes: Pará (6,1%), Nordeste e Bahia (ambos com 4,6%), Rio Grande do Sul (4,4%), Ceará (2,6%), Rio de Janeiro (2,3%) e Santa Catarina (1,3%).

São Paulo

A produção industrial de São Paulo cresceu 2,8% em junho na comparação com o mês imediatamente anterior, após ficar praticamente estável em maio (-0,1%), na série com ajuste sazonal. Os indicadores da região em relação a iguais períodos de 2007 também foram positivos: 10,3% frente a junho de 2007; 9,8% no acumulado do primeiro semestre ante igual período do ano passado e 8,9% em 12 meses. O índice de média móvel trimestral mostrou expansão de 1,1% no trimestre encerrado em junho ante o terminado em maio. Na comparação com junho de 2007, o crescimento da indústria paulista reflete contribuições positivas de 17 dos 20 segmentos pesquisados. Os que mais influenciaram o desempenho global foram veículos automotores (21,5%), material eletrônico e equipamentos de comunicações (27,1%), outros equipamentos de transporte (44,8%), outros produtos químicos (12,9%) e máquinas e equipamentos (9,1%).

No primeiro semestre, também foram apresentados resultados positivos em 17 segmentos, com destaque para veículos automotores (18,3%), material eletrônico e equipamentos de comunicações (25,1%), máquinas e equipamentos (10,9%), máquinas, aparelhos e materiais elétricos (25,0%) e outros produtos químicos (13,3%).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.