Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

IBGE: IPCA em 1 ano pode passar teto da meta em julho

A coordenadora de índices de preços do IBGE, Eulina Nunes dos Santos, admitiu hoje que não é improvável que a inflação acumulada em 12 meses em julho ultrapasse o teta da meta de inflação para este ano, de 6,5%, conforme determinação do Conselho Monetário Nacional (CMN). Segundo ela, a taxa acumulada em 12 meses até junho já chegou a 6,06% e há evidências que julho deste ano apresente um IPCA maior do que o do ano passado, quando o IPCA ficou em 0,24%.

Agência Estado |

"Com a continuidade da pressão dos alimentos e a alta dos preços administrados, não é improvável que a taxa em 12 meses atinja 6,5% (em julho)", disse.

A lista de pressões no IPCA de julho citada por Eulina é significativa. Segundo ela, "a alta dos alimentos é generalizada e não há sinal de inversão, já que os preços no mercado internacional e o consumo continuam subindo". Ela insistiu que "não há evidência de mudança na trajetória de alta dos alimentos".

Além disso, em julho, segundo Eulina, haverá pressão de vários itens administrados sobre o IPCA em julho, como aumentos na taxa de água e esgoto em Porto Alegre, Belém e Fortaleza; nos ônibus interestaduais; na energia elétrica em São Paulo e em Curitiba, além do álcool, do gás veicular e do óleo diesel.

INPC

A coordenadora de índices de preços do IBGE disse também que a alta acumulada de 7,28% no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) em 12 meses até junho está bem acima do IPCA do período (6,06%) porque "as famílias de menor poder aquisitivo são especialmente prejudicadas pela pressão dos alimentos".

O INPC acumulado em 12 meses até junho é a maior taxa apurada por esse indicador no período de um ano desde fevereiro de 2004, segundo o IBGE. No acumulado do primeiro semestre, a alta de 4,26% do INPC é a maior para o período desde 2003.

Enquanto o IPCA mede a inflação para famílias com renda de um a 40 salários mínimos (de R$ 415 a R$ 16.600), no caso do INPC a faixa de rendimento é de um a seis salários mínimos (de R$ 415 a R$ 2.490).

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG