A indústria paulista atingiu nível recorde de produção em junho e registrou no primeiro semestre deste ano a maior expansão para um primeiro semestre apurada pelo IBGE na região desde 2004, destacou hoje a economista da coordenação de indústria do IBGE, Isabella Nunes. O recorde anterior do nível de produção em São Paulo desde o início da série da pesquisa (1991) havia sido atingido em abril deste ano.

Segundo Isabella, o Estado de São Paulo, que responde por cerca de 40% da produção nacional, puxou os resultados do País em junho, "por causa do peso, mas também do desempenho da região". A indústria paulista mostrou forte aceleração nos resultados comparativos a igual período do ano passado do primeiro trimestre (9,1%) para o segundo trimestre (10,4%).

Isabella explicou que São Paulo é uma indústria bastante diversificada e com forte peso, no setor industrial, dos segmentos que têm tido maior impacto no desempenho nacional, como a indústria automotiva e de bens de capital (máquinas e equipamentos). "Em qualquer corte temporal a indústria paulista está acima da média (nacional), porque os segmentos que estão impulsionando o setor industrial no País são muito fortes em São Paulo", disse.

Para ela, os dados industriais apurados regionalmente mostram "um quadro predominantemente positivo" e, assim como na indústria paulista, os destaques entre as demais regiões ficaram com os locais onde há maior peso dos segmentos que vêm puxando a indústria em geral, como automóveis, bens de capital e matérias-primas (commodities) exportadoras.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.