Tamanho do texto

O economista da coordenação de indústria do IBGE, André Macedo, explicou que com o crescimento de 1,5% em fevereiro ante janeiro, o setor industrial já retornou ao patamar de produção de maio de 2008. Apesar da continuidade no processo de recuperação do setor dos efeitos nocivos da crise, o nível ainda é 3,2% inferior ao recorde histórico de produção do setor, atingido em setembro de 2008.

O economista da coordenação de indústria do IBGE, André Macedo, explicou que com o crescimento de 1,5% em fevereiro ante janeiro, o setor industrial já retornou ao patamar de produção de maio de 2008. Apesar da continuidade no processo de recuperação do setor dos efeitos nocivos da crise, o nível ainda é 3,2% inferior ao recorde histórico de produção do setor, atingido em setembro de 2008. Segundo ele, a indústria já está mais perto de retornar ao patamar pré-crise, já que em janeiro deste ano ainda estava 4,9% abaixo do nível de setembro de 2008.<p><p>Entre as categorias de uso, a produção de bens de consumo semi e não duráveis já supera em 1,6% o patamar de produção de setembro de 2008. Segundo Macedo, essa categoria inclui segmentos muito vinculados à demanda doméstica, "o que explica, em muito, o fato dessa categoria já estar em patamar acima do de antes da crise".<p><p>A categoria de bens de consumo duráveis ainda estava, em fevereiro de 2010, em patamar 0,7% abaixo do de setembro de 2008; a de bens intermediários, em patamar 1,3% inferior; e a de bens de capital ainda estava 9,9% abaixo do apurado naquele mês, dois anos atrás.<p><p><b>Recorde</b><p><p>O aumento de 18,4% na produção industrial em fevereiro deste ano ante igual mês do ano passado representa o maior crescimento anual apurado pelo IBGE para meses de fevereiro desde o início da série histórica da pesquisa, em 1991, segundo destacou o economista da coordenação de indústria do instituto, André Macedo. De acordo com ele, o aumento acumulado nos dois primeiros meses de 2010, de 17,2%, também é a maior expansão para um primeiro bimestre já apurada na série histórica.<p><p>Ele explica que essas altas significativas e recordes resultam do crescimento da produção em fevereiro, mas também da baixa base de comparação de iguais períodos de 2009.
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.