A previsão da safra 2008 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) subiu para 145,1 milhões de toneladas no Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) de julho, volume 1% maior que o projetado no mês anterior. O clima favorável, a alta dos preços internacionais das commodities agrícolas e os investimentos no campo são os motivos apontados pelo gerente da pesquisa, Mauro Andreazzi, para justificar a safra recorde prevista para este ano.

O milho, impulsionado pela lacuna deixada pelos Estados Unidos - maior produtor e exportador do produto - no mercado internacional, que abriu espaço para a produção brasileira, elevou a sua participação no total da safra nacional de grãos de 39% no ano passado para 40,3% em 2008.

Andreazzi explica que a produção de etanol nos EUA tem absorvido todo o milho, o que está elevando os preços do produto no mercado internacional e abrindo oportunidades para outros países que o cultivam em larga escala, como o Brasil.

A colheita de milho deverá atingir 58,46 milhões de toneladas este ano, com 40 milhões na primeira safra (aumento de 68,5% ante a safra anterior) e 18,4 milhões na segunda safra (alta de 31,5%).

Além da colheita, a área plantada cresceu 4,3% em relação à safra anterior, para 47,3 milhões de hectares. Segundo Andreazzi, os produtores estão mais capitalizados por causa dos preços dos alimentos no mercado internacional e o bom desempenho da safra do ano passado e, desse modo, investiram mais em máquinas e equipamentos, adubos e sementes de qualidade.

O gerente avalia que o ótimo desempenho da safra 2008 sinaliza boas perspectivas para a safra do ano que vem, já que os produtores vão prosseguir capitalizados. A primeira projeção para a safra 2009 do IBGE será apresentada no levantamento de outubro.

Revisão

A revisão para cima da projeção de safra do IBGE foi puxada especialmente pelas projeções para o milho e o feijão, sobretudo no Mato Grosso, onde haverá colheita recorde para ambos os produtos.

Na comparação com a safra do ano passado, os maiores crescimentos previstos nos grãos em 2008 serão registrados no arroz em casca (9,6%), café em grão (27,7%), feijão em grão 2ª safra (40,6%), milho em grão 1ª safra (10,9%), milho em grão 2ª safra (17,3%), soja em grão (3,6%), sorgo em grão (31,5%) e trigo em grão (32,5%). Entre os 25 produtos agrícolas analisados pelo IBGE, 19 apresentam alta na estimativa de produção em relação a 2007.

A safra da laranja, em plena colheita, será 0,4% superior à de 2007. A área total foi revista em 1,4%, e a área destinada à colheita, em 2,5%. Bahia, Sergipe, Minas e Paraná são os Estados responsáveis pelo acréscimo. Mas algumas alterações do cenário citrícola nacional se devem também aos números de São Paulo, maior produtor do País, que responde por mais de 80% da produção brasileira. O Estado deve produzir 360 milhões de caixas de 41 quilos, um acréscimo de 3,6% de junho para julho.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.