Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Ibama exige de consórcio R$ 30 mi em investimentos em Porto Velho

O consórcio Madeira Energia, responsável pela construção da hidrelétrica de Santo Antônio, no Rio Madeira, terá que investir R$ 30 milhões no saneamento ambiental do município de Porto Velho (RO). Essa é uma das 40 exigências que constam da licença de instalação da usina, que será assinada entre hoje e amanhã pelo presidente do Ibama, Roberto Messias.

Agência Estado |

Ele e o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, deram nesta tarde uma entrevista coletiva à imprensa para anunciar a liberação da licença que autorizará o consórcio, liderado por Furnas e Odebrecht, a iniciar a obra.

Minc reiterou que a licença também exigirá do empreendedor a "adoção" de duas reservas ecológicas: o Parque de Mapinguari (AM) e a Estação Ecológica Jaru (RO). Também será exigido que o consórcio arque com os custos da demarcação e monitoramento de duas terras indígenas próximas à usina, Karicuna e Karitiana. Será preciso ainda investir R$ 6 milhões na compra de equipamentos para bombeiros e para o Batalhão Florestal de Rondônia.

O ministro aproveitou a conversa com a imprensa para criticar o atraso do consórcio na apresentação de documentos. Segundo ele, "a licença saiu o mais rápido possível, apesar do atraso dos empreendedores". Minc disse que vários documentos importantes foram entregues ao Ibama e à Agência Nacional de Águas (ANA), responsável pela outorga do uso da água, somente nas últimas semanas. "Não é razoável trabalhar dessa maneira. Vamos estabelecer um prazo de dois meses entre a entrega do último documento e a emissão da licença", disse.

Leia tudo sobre: usina

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG