SÃO PAULO - O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, determinou na quarta-feira a expropriação da usina de processamento de arroz pertencente à gigante americana Cargill. A decisão foi tomada porque a empresa estaria deixando de produzir arroz branco, variedade que tem o preço tabelado. A Cargill mantém 13 usinas de processamento de alimentos na Venezuela.

"Comece o processo expropriatório e, além disso, uma investigação judicial ", disse o presidente durante reunião com ministros. Chávez ameaçou também expropriar as fábricas de alimentos da Polar, uma das maiores empresas do país.

Segundo o presidente, o governo enviará fiscais à unidade da Cargill para garantir que a companhia está produzindo arroz branco, variedade incluída na base de produtos alimentícios sujeitos a preços controlados.

A ordem de expropriação acirra ainda mais a relação entre o governo e as empresas privadas do setor de alimentos, acusadas de driblar as medidas de controle de preços de itens alimentícios.

Na terça-feira, Caracas determinou que os fabricantes de alimentos que produzem alguns dos itens com preços administrados destinem 70% de sua produção a esses produtos. A decisão atinge 12 alimentos, entre eles arroz branco, óleo vegetal, açúcar e leite integral. Os venezuelanos têm enfrentado escassez de alguns alimentos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.