Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Hu Jintao deixa Havana após prorrogar prazo de dívida cubana

Havana, 19 nov (EFE).- Terminou hoje, com um convênio de reconhecimentos mútuos de diplomas de nível superior e prorrogação até 2018 do prazo da dívida comercial de Cuba com a China o encontro dos chefes de Estado destes dois países, em Havana.

EFE |

O presidente Hu Jintao, também secretário-geral do Partido Comunista chinês, que governa seu país desde 1949 como partido único, classificou como "ótimos" os resultados das reuniões com os irmãos Rául e Fidel Castro, respectivamente presidente e ex-presidente de Cuba, também sob ditadura comunista, desde 1959.

O general Raúl Castro, que substituiu o irmão, com problemas de saúde, em fevereiro deste ano, também ressaltou os "bons resultados, como sempre é a visita de um presidente da China".

Os acordos assinados ontem incluem um crédito novo de US$ 70 milhões e uma doação de US$ 8 milhões por parte do Governo chinês, além do adiamento de dívidas cubanas, que se somam a outros, assinados poucas horas antes da chegada de Jintao na segunda-feira, na 21ª sessão de trabalho da Comissão Intergovernamental dos dois países.

Os empréstimos e a doação ajudarão na recuperação de Cuba, castigada nos três últimos meses por três furacões que causaram perdas calculadas oficialmente em cerca de US$ 10 bilhões.

A China é o segundo parceiro comercial da ilha, depois da Venezuela, segundo funcionários que lembraram que, em 2007, a troca comercial entre os dois países cresceu 27%, chegando a US$ 2,6 bilhões, e que se espera outro aumento este ano.

Hu Jintao viajou ao Peru para participar, no fim de semana, do Fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec). EFE arj/jp

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG