Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Hong Kong: Número de passageiros no transporte aéreo diminuiu em setembro

Hong Kong, 20 out (EFE).- Os números do transporte aéreo do último mês publicados pela autoridade aeroportuária de Hong Kong refletem uma redução do número de passageiros e do volume de carga, enquanto a imprensa local anuncia as primeiras demissões de funcionários de várias companhias aéreas locais.

EFE |

Segundo informações da autoridade aeroportuária local, o aeroporto de Hong Kong administrou 3,6 milhões de passageiros e 317 mil toneladas de carga em setembro, números que representam queda de 4,7% e 7,5%, respectivamente, em comparação a setembro de 2007.

O sindicato de empregados do setor da aviação lançou uma advertência sobre um aumento dos demitidos em curto prazo, após conhecer oito casos de rescisão de contrato de empregados da Hong Kong Airlines e da Hong Kong Express Airways, informou o jornal "South China Morning Post".

Alguns rumores falam que cerca de 100 membros de tripulação poderiam ser demitidos em breve por causa da crise, afirmou o jornal local "The Standard".

Nos três primeiros trimestres de 2008, o tráfego de passageiros em Hong Kong aumentou 3,7%, para 36,7 milhões, enquanto o volume de carga e o tráfego aéreo aumentaram 3% e 3,1%, para 2,8 milhões de toneladas e 225,715 mil deslocamentos, respectivamente.

"A forte queda dos volumes de trânsito tanto de passageiros quanto de carga reflete claramente uma economia mundial em problemas como resultado da crise financeira", declarou Stanley Hui, chefe executivo da autoridade aeroportuária, em uma nota de imprensa.

O volume de carga com os Estados Unidos e com a Europa, os principais parceiros comerciais de Hong Kong e China, "se reduziu consideravelmente", acrescentou Hui.

O responsável aeroportuário de Hong Kong previu tempos difíceis para o setor.

"Tendo em vista o extremamente difícil entorno no qual se opera e a queda da demanda por causa da recessão econômica, as companhias aéreas limitarão suas operações ou colocarão em espera seus planos de expansão. Espera-se que o setor da aviação enfrente momentos mais difíceis nos próximos meses", concluiu Hui. EFE mch/fh/fal

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG