Haia, 18 out (EFE).- O grupo holandês de bancos e seguros ING estaria buscando uma injeção de capital de 12 bilhões de euros para melhorar sua solvência, informa a imprensa local.

O diretor do ING Koos Timmermans declarou ao jornal "Het Financieele Dagblad" que o grupo "não precisa reparar nenhum buraco".

"Porém, se a regra do mercado é elevar (a solvência), é preciso tomar medidas", disse.

Em sua edição de hoje, a publicação cita fontes não identificadas que afirmam que o ING está negociando a respeito com o Banco Central da Holanda.

A edição eletrônica do jornal afirma ainda que, de acordo com analistas, "(a margem de solvência) de outros bancos estrangeiros é da ordem de 12%".

Para chegar a esse nível, o ING, cuja margem de solvência é de 8,5% - o mínimo aceitável é 4% -, precisariam de uma injeção de capital de 12 bilhões de euros, destacam tanto o "Financieele Dagblad" quanto o jornal "De Volkskrant".

Diante da gravidade da crisa financeira internacional, o Estado holandês criou um fundo de 20 bilhões de euros para apoiar entidades financeiras que precisarem melhorar sua solvência.

Ontem, o ING disse em comunicado que estudará a ajuda estatal "quando souber mais detalhes" do que foi divulgado pelas autoridades.

Segundo o "De Volkskrant", a ajuda estatal exigiria dos bancos a diminuição das bonificações aos diretores, o que não é uma medida popular nas entidades financeiras. EFE mr/wr/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.