Tamanho do texto

Por Aluísio Alves SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa acompanhou a volatilidade dos mercados globais, em meio a uma safra de dados corporativos divergentes, mas fechou no azul, após um indicador mostrar inesperada recuperação na economia dos Estados Unidos.

Depois de ter oscilado entre queda de 0,8 por cento e alta de 2,45 por cento, o Ibovespa terminou o dia marcando 38.509 pontos, com avanço de 0,99 por cento. O giro financeiro da sessão foi de apenas 3,06 bilhões de reais.

O índice de principais indicadores, divulgado pela manhã, mostrou que a performance global da economia norte-americana teve em dezembro o primeiro avanço em seis meses, surpreendendo previsões de queda.

"Foi isso que sustentou o mercado hoje, porque os dados de empresas não ajudaram muito", disse Kelly Trentin, analista SLW Corretora.

De fato, o noticiário corporativo, fosse contando os estragos da crise ou os planos para aliviar os seus efeitos, deixou o investidor sem um referencial seguro.

De um lado, a fila de empresas anunciando demissões para fazer frente à queda de receitas provocada pela crise engrossou com nomes como a operadora de telefonia Sprint Nextel (8 mil) e Caterpillar (19,5 mil). A Fiat avisou que 60 mil vagas estão em risco, segundo disse uma fonte à Reuters.

De outro, a compra da Wyeth pela Pfizer por 68 bilhões de dólares, a afirmação de que o Barclays não vai buscar capital para fazer frente a baixas contábeis e a queda menor do que a esperada no lucro do McDonald's deram algum alento aos investidores sobre os estragos da crise nos resultados das empresas.

Olhando para a recuperação modesta nos preços de commodities metálicas, na bolsa paulista o investidor foi em busca de ações de companhias ligadas ao setor. Vale, que já havia sido responsável pela alta do Ibovespa, na sexta-feira, voltou à carga com uma alta de 2,5 por cento, a 26,95 reais.

Mesmo com os analistas torcendo o nariz para o plano de investimentos de 174,4 bilhões de dólares para o período 2009-13 anunciado na última sexta-feira, Petrobras fechou com avanço de 0,9 por cento, a 23,80 reais.

Um dos destaques de alta foi Banco do Brasil, subindo 6,1 por cento, para 14,11 reais. O banco anunciou no final de semana que terá um ganho de 2,5 bilhões de reais no balanço do quarto trimestre de 2008, devido a um recálculo atuarial. Desse total, 1,7 bilhão de reais serão usados para ampliar as previsões contra perdas em operações de crédito.