Tamanho do texto

HAIA (Reuters) - O Tribunal Internacional de Justiça determinou nesta terça-feira que o Uruguai falhou ao não informar e não negociar com a Argentina sobre a construção de duas fábricas de celulose, mas considerou que o país não desrespeitou obrigações ambientais sob um tratado de gestão do rio na fronteira entre os dois países.

A corte, portanto, rejeitou a demanda argentina por uma interrupção das operações ou pelo recebimento de indenização. Em vez disso, o tribunal ressaltou que o tratado pede negociações e consultas entre os dois países.

HAIA (Reuters) - O Tribunal Internacional de Justiça determinou nesta terça-feira que o Uruguai falhou ao não informar e não negociar com a Argentina sobre a construção de duas fábricas de celulose, mas considerou que o país não desrespeitou obrigações ambientais sob um tratado de gestão do rio na fronteira entre os dois países.

A corte, portanto, rejeitou a demanda argentina por uma interrupção das operações ou pelo recebimento de indenização. Em vez disso, o tribunal ressaltou que o tratado pede negociações e consultas entre os dois países.

O Uruguai e a Argentina se enfrentam há anos sobre as fábricas de celulose no Uruguai, uma disputa que levou a manifestações de ambientalistas argentinos. O Uruguai nega que esteja poluindo o rio.

(Reportagem de Aaron Gray-Block)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.