O número de ações que compõe o capital da GVT cresceu 6,82% com o exercício de opções de compra. O conselho da operadora ratificou esse aumento na quantidade de ações ordinárias, que passou de 128.

484.338 para 137.244.541, conforme ata da reunião de ontem, entregue à CVM à noite.

Hoje ocorre o leilão da oferta pública de ações (OPA) da GVT, que na BM&FBovespa. No último dia 13, o grupo francês Vivendi anunciou acordo para a compra de até 57,5% da operadora, em uma operação na qual avaliou a companhia em R$ 7,2 bilhões. Em uma tacada surpreendente, a empresa superou a espanhola Telefônica e acertou a compra das ações dos controladores da companhia e de terceiros, que correspondem a 37,9% do capital, por R$ 56,00 por ação. A Vivendi fechou ainda um contrato de opções que lhe dá o direito de adquirir outros 19,6% dos papéis da operadora a R$ 55,00 cada. A disputa pela GVT começou em setembro, quando a Vivendi ofereceu R$ 42,00 por ação da empresa. Os espanhóis entraram na briga oferecendo primeiro R$ 48,00 e depois elevando a própria proposta para R$ 50,50.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.