Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

GVT dá prioridade ao crescimento no Nordeste e Sudeste

SÃO PAULO - A GVT - operadora de telefonia fixa e banda larga comprada pela Vivendi no fim do ano passado - vai se concentrar nas regiões Sudeste e Nordeste em seu plano de expansão geográfica, que prevê a entrada em mais 12 cidades até dezembro, além dos três municípios incorporados no primeiro trimestre (Fortaleza, João Pessoa e Campina Grande). Conforme já anunciado, o conselho de administração da companhia aprovou um incremento de R$ 205 milhões nos investimentos previstos para este ano. Os recursos adicionais - que levaram o plano para R$ 1,1 bilhão - permitirão a antecipação do ingresso a mercados que anteriormente estavam previstos apenas para o próximo ano.

Valor Online |

SÃO PAULO - A GVT - operadora de telefonia fixa e banda larga comprada pela Vivendi no fim do ano passado - vai se concentrar nas regiões Sudeste e Nordeste em seu plano de expansão geográfica, que prevê a entrada em mais 12 cidades até dezembro, além dos três municípios incorporados no primeiro trimestre (Fortaleza, João Pessoa e Campina Grande). Conforme já anunciado, o conselho de administração da companhia aprovou um incremento de R$ 205 milhões nos investimentos previstos para este ano. Os recursos adicionais - que levaram o plano para R$ 1,1 bilhão - permitirão a antecipação do ingresso a mercados que anteriormente estavam previstos apenas para o próximo ano. "O único objetivo (dos aportes adicionais) é acelerar o investimento na expansão", afirmou hoje o presidente da GVT, Amos Genish, durante teleconferência com a imprensa sobre os resultados do primeiro trimestre deste ano, quando o lucro somou R$ 32,4 milhões, 24,7% acima do resultado de igual período do ano passado. No entanto, o vice-presidente de marketing e vendas da GVT, Alcides Troller Pinto, disse que ainda não é possível adiantar quais as cidades e o cronograma da expansão para fora da área original (Sul, Centro-Oeste e parte do Norte). Isso porque tal programa dependerá da agilidade dos municípios em liberar as licenças para implantação de toda infraestrutura necessária para a realização dos serviços de telecomunicações. "Em um mês ou dois meses e meio teremos uma perspectiva melhor sobre quando entraremos nas cidades", disse Troller. O plano da companhia inclui o início da oferta de telefonia fixa e banda larga residencial na cidade de São Paulo no ano que vem. Sobre novos negócios, Troller afirmou que, antes do segmento de telefonia móvel, a prioridade do grupo é o mercado de TV por assinatura. O executivo afirmou que a GVT avalia como vai atuar nesse negócio, descartando neste momento planos de aquisição."Só vamos entrar se tiver aderência ao nosso modelo de negócios, e acreditamos que tem", afirmou. Como os serviços de telefonia móvel não estão entre as prioridades, a empresa já descartou a participação no processo de licitação para a exploração de serviço móvel na faixa de frequência da banda H. Na próxima terça-feira, está prevista a oferta da Vivendi para aquisição das ações que ainda estão em circulação no mercado. Os primeiros produtos que serão oferecidos aos consumidores brasileiros como fruto dessa aquisição são de conteúdos de jogos e músicas, disse Genish, que também acredita que a chegada do grupo francês terá papel importante nos planos de entrar no mercado de TVs por assinatura. (Eduardo Laguna | Valor)
Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG