Guie bichos fofinhos rumo à vitória Por Jocelyn Auricchio São Paulo, 23 (AE) - Você deve saber o que é uma pinhata, aquela brincadeira mexicana em que os pais fazem bichos de papel e cola recheados de doces para as crianças, vendadas, quebrarem com um bastão. Agora, imagine um mundo em que estas pinhatas são bichos de verdade e sua missão é reuni-las e criá-las em um jardim, protegendo-as de inimigos.

Esta é a missão do já clássico "Viva Piñata", o jogo casual mais bem sucedido lançado para um console sem tradição neste tipo de game, o Xbox 360. Depois do sucesso estrondoso da primeira versão de - o primeiro game da série ganhou até uma versão dublada em português, lançada oficialmente no Brasil - chega às lojas a continuação, "Viva Piñata: Trouble in Paradise".

O game é basicamente o mesmo jogo lançado em 2006, mas com profundas melhorias na jogabilidade. A coisa flui muito mais suave, muito mais amigável para quem não tem muita intimidade com games. O melhor exemplo é o jardim, a principal parte do jogo, onde os bichinhos aparecem e reproduzem-se.

No primeiro game da série, o jogador era obrigado a amargar uma tela de carregamento para comprar sementes e outra para voltar ao jardim. Isso quebrava o ritmo do jogo e até mesmo o processo criativo que envolve a idealização do jardim, sem contar que era irritante perder uma quantidade de tempo enorme com telas de carregamento inúteis. Agora, com um simples toque de botão é possível comprar as sementes.

O tedioso processo de cavar o jardim, para eliminar imperfeições no terreno ou criar pequenos lagos, também foi melhorado. É possível selecionar uma área muito maior ao toque de um botão, acelerando o "trabalho" e deixando o jogador livre para criar, sem ser obrigado a fazer tarefas que diminuíam os períodos divertidos do game.

O que mais salta aos olhos em "Viva Piñata: Trouble in Paradise" é a quantidade enorme de novas criaturas. Se no primeiro as estrelas eram os pássaros, raposas e cavalinhos estilizados, agora a diversidade animal é impressionante. Pingüins, caranguejos, alces, rinocerontes e até gorilas fazem parte do ecossistema do jogo. O mais adorável é que essas criaturas têm características únicas, como humor e hábitos, que realmente criam uma dinâmica divertida e em alguns momentos desafiadora.

Por exemplo, é normal que sem aviso algumas pinhatas se estranhem e briguem no jardim. Da mesma forma que, em vez de se unirem contra algum agressor externos, o que seria natural, elas se engalfinham enquanto o agressor assiste feliz, só esperando para recolher os doces caídos da pinhata que se der mal. Como os animais da natureza, as pinhatas são imprevisíveis.

Domesticar pinhatas e colocá-las para se reproduzir - um dos momentos mais sublimes e divertidos do jogo - continua sendo um senhor desafio. É preciso criar condições favoráveis para que bichos da mesma espécie se encontrem, como construir uma casa e oferecer os alimentos certos.

É constrangedor para um marmanjo barbudo e rústico admitir, mas "Viva Pinãta: Trouble in Paradise" é um daqueles poucos jogos que justificam a instalação do videogame logo ao lado da cama, para maratonas insanas de jogo ininterrupto. Mas, exageros à parte, é bom ter cuidado com o vício que o game causa, pois diversão de primeira categoria entre pais e filhos desse naipe é difícil de largar.

FICHA TÉCNICA
VIVA PIÑATA: TROUBLE IN PARADISE
PLATAFORMA - Xbox 360
DISTRIBUIÇÃO - Microsoft
PREÇO - R$ 160
DETALHES - O game, liberado para todas as idades, chega às lojas em outubro. Conta com legendas em português e um modo de jogo para os novatos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.