O Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) entrou com pedido na PRE para impedir saques a partir de amanhã

selo

O Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) entrou hoje com uma representação junto à Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) de Alagoas pedindo a proibição de saques bancários acima de R$ 20 mil a partir de amanhã. Segundo o coordenador-geral do MCCE local, Antônio Fernando da Silva, esta é uma indicação da coordenação nacional do grupo e vem sendo ajuizada em outros Estados.

"O objetivo é coibir a avalanche de dinheiro que sempre circula antes do pleito, para reduzir a compra de votos e a corrupção eleitoral", justificou Silva, que é conhecido por 'Fernando CPI'. Para ele, já foi uma vitória o rastreio dos saques a partir de R$ 10 mil, conquistado pelo MCCE, a partir de uma ação ajuizada no dia 22 de setembro, junto ao Ministério Público Eleitoral.

No entanto, para Silva, essa decisão não é suficiente para garantir o limite de saque acima de R$ 20 mil. "Em Roraima, na região Norte do País, um pedido semelhante a esse nosso já foi acatado, por isso estamos confiantes no êxito da ação também em Alagoas", avalia.

Conforme a determinação do Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas (TRE-AL), os bancos devem informar a ocorrência dos saques. Além disso, desde ontem as informações devem ser atualizadas diariamente. "Quanto mais vulnerável a população, mais propício é o ambiente para a compra de votos", afirmou Silva.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.