Atenas, 23 fev (EFE).- Cerca de 500 membros do sindicato PAME, formado por trabalhadores ligados ao Partido Comunista, impedem hoje a entrada à Bolsa de Valores de Atenas, informou a televisão estatal NET.

Os manifestantes ocuparam os arredores do edifício durante as primeiras horas da madrugada com cartazes de protestos contra os operadores e a bolsa.

Gianis Tasiulas, presidente dos trabalhadores da construção, chamou seus colegas "a saírem às ruas" para impedir a entrada dos empregados da Bolsa em seus escritórios.

Forças de segurança enviaram efetivos ao local, mas até o momento não precisaram intervir.

Fontes da Bolsa informaram que o pregão de hoje poderá ser realizado normalmente, já que graças à informatização dos sistemas não é necessário o acesso físico dos funcionários à Bolsa.

O protesto acontece um dia antes da greve geral convocada para amanhã pelos sindicatos majoritários do setor público e privado, que pretende paralisar ao país.

A greve é em protesto pelas medidas que o Governo socialista se comprometeu, junto à União Europeia, a cumprir para superar a profunda crise econômica do país e reduzir seu déficit público em quatro pontos em 2010, até 8,7%.

A greve de amanhã, que vai ter participação dos controladores aéreos, vai afetar todos os voos, com o cancelamento de 400 conexões e a modificação de dezenas de outras desde hoje. Os barcos de passageiros, os trens, o metrô e os trens suburbanos também estarão fora de serviço.

Os serviços públicos, colégios, bancos, hospitais e alfândegas estarão fechados, e os sindicatos organizaram grandes manifestações no centro de Atenas e nas maiores cidades do país.

Devido à participação dos jornalistas gregos na greve, haverá também um blecaute de informação durante a jornada de protesto. EFE afb/fm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.