A Petrobras e os petroleiros da Bacia de Campos não conseguiram chegar a um acordo hoje a respeito da cobrança pelo dia do desembarque das plataformas e, por isso, a categoria decidiu manter até sexta-feira a greve de cinco dias iniciada na segunda-feira. As duas partes ficaram reunidas por mais de quatro horas e, segundo as lideranças sindicais, a estatal não chegou a fazer uma proposta sobre o tema, limitando-se a discutir o pagamento de horas extras.

Os petroleiros iniciaram a mobilização na segunda-feira com a redução da produção de 33 plataformas da Bacia de Campos. A companhia, porém, acionou equipes de contingência e conseguiu normalizar as atividades na região ainda na noite do primeiro dia de greve. Assim, a perda de produção limitou-se a 63 mil barris.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.