Tamanho do texto

BRASÍLIA - A greve dos funcionários da Empresa de Correios e Telégrafos (ECT) chega hoje ao 11º dia sem que sindicato e empresa tenham chegado a um consenso. Com isso, 84 milhões de cartas e 360 mil encomendas estão com as entregas atrasadas, devido à adesão de 30% dos carteiros em 21 estados e no Distrito Federal, segundo informações dos Correios.

De acordo com o diretor de Política Sindical da Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect), Geraldo Rodrigues, a comissão da federação teve ontem uma reunião com a ECT, mas sem avanço nas negociações.

A proposta apresentada pela ECT foi intermediada pelo ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Rider Nogueira de Brito, e oferece o pagamento dos 30% do abono que vinha sendo pago, por mais dois meses - julho e agosto - e suspende o Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS). A intenção do TST é de que o texto seja discutido entre a comissão da ECT e da Fentect, com o acompanhamento do ministro Brito, até o final de agosto. Representantes da Fentect debatem internamente o que foi apresentado pela empresa durante a tarde.

A gente vai discutir hoje em cima dessa proposta, apesar de que não é uma proposta boa para os trabalhadores. Mas nós vamos discutir com todos os sindicatos parados e pelo menos passar a proposta que o ministro está intermediando, afirmou Rodrigues, em entrevista à Agência Brasil.

Segundo o diretor da Fentect, amanhã será realizado um encontro em Brasília com todos os sindicatos brasileiros para debaterem todas as questões sobre a greve dos servidores dos Correios.

Nós, da federação, estamos tentando de todas as formas com que o governo receba os trabalhadores para sair desse impasse. O nosso objetivo é que acabe a greve o mais rápido possível, porque entendemos que está atrapalhando a sociedade, alegou Rodrigues.

(Agência Brasil)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.