Paris, 23 fev (EFE).- Vários voos foram cancelados hoje desde a primeira hora da manhã na França e alguns aeroportos foram fechados por causa do início da greve de controladores aéreos, que se prolongará até sábado de manhã.

A Direção Geral da Aviação Civil (DGAC) tinha avisado às companhias aéreas que, prevendo o impacto da greve, teriam que cancelar 50% dos voos previstos no aeroporto de Orly e 25% no outro aeroporto de Paris, o Charles de Gaulle.

Essa redução da atividade nas duas plataformas da capital limitou de forma significativa os voos domésticos. As companhias aéreas preferiam cancelar esses e manter os de longa distância.

Foram completamente fechados os aeroportos de Pau, Biarritz, Grenoble, La Rochelle e Chambéry.

Fora de Paris, os aeroportos menos afetados eram os de Nice e de Lyon, onde se mantinham mais da metade das linhas previstas. Já em Bordeaux e Aix-en-Provence se cancelaram 50% dos voos.

A greve foi convocada por quatro sindicatos (CGC, CGT, FO e UNSA) aos quais se somará na quinta-feira uma quinta entidade (CFDT), mas não pelo majoritário SNCTA. O objetivo é paralisar o projeto da DGAC para fundir o controle aéreo de seis países centrais na Europa (França, Alemanha, Suíça, Bélgica, Holanda e Luxemburgo).

O projeto desses seis países, que esperam assinar um tratado no final deste ano para colocar em prática a partir de 2012, procura simplificar os 27 sistemas de controle aéreo existentes atualmente na Europa e reduzir seus custos em 20%.

Os grevistas, que após dois dias de paralisação em janeiro escolheram esta semana por coincidir com as férias escolares de inverno em boa parte da França, afirmam que esses planos levarão ao desmantelamento da DGAC, algo negado pelo responsável do Departamento, Patrick Gandil. EFE ac/sa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.