Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Greve de postos deixa motoristas argentinos a pé

Buenos Aires, 5 dez (EFE).- Empresários e trabalhadores dos postos de gasolina da Argentina cumprem hoje uma paralisação de 24 horas que prejudica o abastecimento de combustível, principalmente em Buenos Aires e nas outras cidades grandes do país.

EFE |

Segundo a Federação de Empresários de Combustíveis, a adesão à paralisação alcança 98%. Somente na capital argentina há cerca de 250 postos de gasolina fechados e nos poucas que permanecem abertas se formam longas filas de veículos.

Além disso, alguns proprietários de postos de gasolina que pretendiam não aderir à greve foram ameaçados ou agredidos por grupos de grevistas que os impedem de vender combustíveis.

A paralisação foi convocada pelo setor ter "perdido a paciência", expressou a titular da Federação de Empresários de Combustíveis, Rosario Sica.

"Agora vamos pôr 24 horas e se não nos escutarem na próxima semana, faremos uma greve de 48 horas com mobilização. Não vamos parar até o final", ameaçou.

Raúl Castelhano, presidente da Federação de Vendedores a varejo de Combustíveis, disse por sua vez que a greve tem alta adesão "em todo o país" e manifestou que "há muita preocupação no setor empresarial e nos empregados" pela "situação crítica" do setor.

Os trabalhadores reivindicam a continuidade de seus empregos após o fechamento de diversos postos de gasolina, enquanto os empresários pedem fornecimento completo de combustível a todas as estações, renovação automática dos contratos com as petrolíferas quando os mesmos vencerem e mais rentabilidade no negócio. EFE hd/jp

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG