Londres, 11 ago (EFE).- O ex-presidente do Federal Reserve (Fed, banco central americano) Alan Greenspan vê como improvável que se volte a repetir a curto prazo um novo processo especulativo como o que, segundo sua opinião, provocou o rápido encarecimento do petróleo desde o final de 2007.

Em uma entrevista ao jornal "Financial Times" (FT), Greenspan afirma que a especulação contribuiu de maneira "significativa" para a alta do petróleo nos últimos meses, embora distinga entre especulações boas e más e a inclui no primeiro grupo.

"Foi uma clássica especulação estabilizadora", diz o ex-presidente do banco central americano.

"Adiantou o aumento de preços que, de outro modo, teria acontecido em um prazo muito mais longo e reduziu a demanda mais rápido, o que em última instância 'temperou' o preço máximo intermediário", acrescenta.

No entanto, o economista vê como improvável que se repita no curto prazo uma especulação similar.

"Há poucas possibilidades de um novo encarecimento do petróleo enquanto se mantenha esta fraqueza econômica cíclica", afirma.

Greenspan atribui a recente baixa do preço do petróleo - no último mês o Brent caiu desde mais de US$ 147 o barril para menos de 115 - ao fato de que os investidores estão abandonando suas posições no setor para tornar efetivos seus lucros.

Apesar desta recente baixa, Greenspan não prevê que se volte aos US$ 80 dólares por barril, prevendo que se poderia chegar inclusive aos 150 dólares quando acabar o atual arrefecimento econômico se os países produtores não aumentarem "de forma significativa" a produção. EFE pdj/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.