Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Greenspan se diz chocado com falhas em funcionamento dos mercados

SÃO PAULO - O ex-presidente do Federal Reserve (Fed) Alan Greenspan se disse chocado nesta quinta-feira, em depoimento no Congresso dos Estados Unidos, por avaliar que a crise atual revelou para ele e para muitos outros uma falha no sistema de funcionamento dos mercados.

Valor Online |

Greenspan, que tem sido apontado por analistas como um dos responsáveis pela crise atual - ao não ter aumentado a regulação dos mercados -, afirmou que cometeu um erro ao acreditar que se os bancos agissem no seu próprio interesse acabariam protegendo os seus acionistas.

Ele afirmou que a crise "se mostrou muito mais ampla do que ele poderia imaginar" e confessou que "ainda não entendeu completamente o que aconteceu".

O presidente do Comitê, o democrata Henry Waxman, da Califórnia, acusou Greenspan de ter tido "em suas mãos a autoridade para impedir as práticas de empréstimo irresponsáveis que levaram à crise das hipotecas de alto risco".

"Muitos aconselharam o senhor que assim o fizesse", acrescentou. "E agora toda a nossa economia paga o preço".

Na visão do ex-presidente do Fed, ao defender seus próprios interesses, os bancos controlariam o risco de suas contrapartes e evitariam os excessos que acabaram ocorrendo no mercado.

Greenspan - que esteve no comando do Fed entre 1987 e 2006 - afirmou que as empresas e mercados financeiros "deveriam estar muito mais regulados para impedir o pior tsunami financeiro do último século".

Durante o período no qual Greenspan liderou o Fed, se acelerou nos EUA o processo de falta de regulação, enquanto nos mercados financeiros se multiplicaram os sofisticados "instrumentos" de investimento especulativo.

Também presente à mesma audiência no congresso norte-americano, o atual presidente da Securities and Exchange Commission (SEC), Christopher Cox, disse que aprendeu que "regulação voluntária não funciona". "Foi um erro fatal que ninguém tenha recebido a autoridade para regular bancos de investimento, a não ser de uma forma voluntária", afirmou.

(Com informações do Valor Online e Efe)

Mais notícias

 

Para saber mais

 

Serviço 

 

Opinião

Leia tudo sobre: crise financeiravalor

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG