Pacote inclui subsídios para o transporte ferroviário, infraestrutura, projetos comunitários e remodelações

O governo da Grécia informou nesta quinta-feira que fechou um acordo com o Banco Europeu de Investimento (EIB, na sigla em inglês) por um financiamento de 2 bilhões de euros para lidar com sua economia, que está em recessão. O acordo foi anunciado no mesmo dia em o governo do Partido Socialista aumentou impostos para cortar os déficits no Orçamento.

O ministro das Finanças da Grécia, George Papaconstantinou, a ministra da Economia, Louka Katseli, e o vice-presidente do EIB, Ploutarchos Sakellaris, assinaram o acordo, que faz parte de um programa conhecido como Quadro de Referência Estratégica Nacional. O pacote inclui subsídios para o transporte ferroviário, infraestrutura, projetos comunitários, remodelações e subvenções para pesquisas. O objetivo é ajudar vários setores da economia com recursos.

"Isso é um voto de confiança para as políticas do governo. Mostra para o mundo que as coisas estão progredindo na Grécia e que existem oportunidades de investimento extraordinárias aqui", disse Papaconstantinou em uma entrevista transmitida pela TV. "Nós esperamos que isso gere crescimento e desenvolvimento para a Grécia", acrescentou Katseli.

Mas, de acordo com os números oficiais, a economia da Grécia deve encolher 4% este ano, com o pacote de austeridade fiscal, que incluiu cortes de gastos e aumentos de impostos, começando a surtir efeito.

A ponta mais alta da faixa do imposto de valor agregado subiu para 23%, de 21%. A taxa média foi elevada para 11%, de 10%, e a ponta inferior subiu para 5,5%, de 5%. A taxa de 23% do imposto também se aplica, pela primeira vez, para os serviços de advogados, tabeliães, táxis e serviços de saúde privados. O governo da Grécia impôs essas medidas em troca de um pacote de 110 bilhões de euros do Fundo Monetário Internacional (FMI) e da União Europeia. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.