Tamanho do texto

A Grécia pode buscar ajuda financeira do Fundo Monetário Internacional (FMI) no final de semana de Páscoa, entre 2 e 4 de abril, uma vez que Atenas tem pouca esperança de obter socorro da União Europeia na próxima semana, disse um membro do alto escalão do governo grego.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237561817145&_c_=MiGComponente_C

Desapontado com o fato de que outra rodada de reuniões entre as autoridades da União Europeia nesta semana tenha fracassado em produzir medidas concretas para ajudar Atenas, o governo grego agora vê com pouco otimismo a reunião de cúpula da União Europeia da semana que vem, disse a fonte.

"Ainda queremos uma solução dentro da União Europeia, mas isso não parece bom", afirmou. "Se não houver apoio claro na cúpula da União Europeia de 25 de março, teremos de decidir para onde vamos a seguir", declarou o funcionário do governo. "Há vários cenários sobre a mesa, mas o mais conhecido é o FMI".

O funcionário informou ainda que o primeiro-ministro George Papandreou está "em contato permanente" com o diretor-gerente do FMI, Dominique Strauss-Kahn. O Fundo, que tem dado assistência técnica para a Grécia lidar com a crise da dívida, afirma que está pronto para ajudar o país. Nesta quarta-feira, Papandreou disse que uma solução no âmbito da União Europeia ainda é a "melhor solução", mas o funcionário do governo grego afirmou que as esperanças estão diminuindo, especialmente diante do aprofundamento de uma divergência com a Alemanha sobre a crise.

O ministro grego da Economia, Competitividade e Transporte Marítimo, Louka Katseli, disse à mídia local que a possibilidade de o país recorrer ao FMI é de 70%. A Alemanha é notoriamente relutante à concessão de qualquer ajuda para o país. As informações são da Dow Jones.

Leia mais sobre: Grécia

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.