Atenas, 23 mar (EFE).- O ministro das Finanças da Grécia, Giorgos Papaconstantinou, disse hoje que o país não irá à cúpula europeia para pedir esmola, dois dias antes da reunião na qual os líderes europeus debaterão se darão início a mecanismos de ajuda à economia grega.

O ministro afirmou ter certeza de que a Grécia defende "uma solução europeia" e expressou otimismo sobre o resultado da cúpula de quinta-feira.

"A Grécia não pediu dinheiro a ninguém. Não quer nem um milagre, nem alguém para nos salvar das decisões que tomamos", disse Papaconstantinou.

O ministro também garantiu que a Grécia continua em condições de satisfazer o financiamento de sua dívida por meio dos mercados de crédito, mas que quer fazê-lo com juros mais baixos.

Atualmente, a Grécia paga duas vezes mais que a Alemanha em juros pela emissão de dívida.

Nesse sentido, o ministro relacionou a redução dos custos de financiamento à aplicação do plano de austeridade iniciado por Atenas.

Por fim, Papaconstantinou acrescentou que a Europa "deve de contar com um mecanismo político que possa garantir a estabilidade na zona do euro e apoiar os esforços que cada país faz". EFE afb-as/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.