Primeiro-ministro da Grécia, George Papandreu, diz que ajuda daria fôlego para país avançar com reformas

A Grécia decidirá nas próximas semanas se ativará mecanismo de ajuda da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional, afirmou o primeiro-ministro George Papandreou à revista Newsweek.

Atenas iniciará conversações oficiais com a UE e o FMI na segunda-feira para esclarecer detalhes do acordo que prevê estimados 45 bilhões de euro em ajuda no primeiro ano em o que seria o maior resgate já executado.

"Teremos que decidir se vamos ativar esse mecanismo nas próximas semanas", ele afirmou, segundo edição do dia 16 de abril da revista.

"Não tomamos uma decisão oficial ainda. O que estamos dizendo é que vamos nos preparar para que, se tivermos que apertar o botão, ele está pronto."

Papandreou disse que o pacote de ajuda daria à Grécia fôlego para avançar com reformas.

"Ele nos dá espaço de manobra para fazer as mudanças necessárias para tornar a nossa economia viável", afirmou. Ele acrescentou acreditar que a Grécia não terá nenhuma dificuldades em se financiar no mercado externo no próximo mês.

O primeiro teste será a venda de 1,5 bilhão de euros em dívida de curto prazo em 20 de abril. No mesmo dia, uma equipe do governo irá aos Estados Unidos para avaliar o apetite por um bônus denominado em dólar.

"Nós não vamos entrar em default", afirmou Papandreou. "O problema é o custo de se financiar, e por quanto tempo podemos sustentar isso. Eu não vejo um problema mesmo em maio, mas isso não significa que fechamos a opção de usar esse mecanismo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.