Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Grandes bancos vão quebrar, diz Rogoff

O economista-chefe do Fundo Monetário Internacional (FMI) entre 2001 e 2004, Kenneth Rogoff, alertou ontem que o pior da crise financeira global ainda está por vir. Ele previu a quebra de um grande banco dos Estados Unidos nos próximos meses, com o agravamento dos problemas financeiros do país.

Agência Estado |

"Os Estados Unidos não saíram do bosque; a crise financeira ainda está no meio do caminho. Eu diria também que o pior está por vir", disse Rogoff, em uma conferência sobre finanças. "Vamos ver quebrar não apenas bancos médios nos próximos meses, mas um grande, um dos grandes bancos de investimentos ou um grande banco (comercial)."

Atualmente professor da Universidade Harvard, o economista disse que o fim da crise ainda depende da consolidação do sistema financeiro americano. "Provavelmente, essas gigantes agências hipotecárias Fannie Mae e Freddie Mac, apesar do que disse o secretário do Tesouro (Henry Paulson), não vão existir em sua forma atual em alguns poucos anos", disse.

Rogoff fez esses comentários num momento em que investidores se desfazem de ações das duas agências americanas de financiamentos hipotecários, após um jornal do país, o Barron´s , ter informado, no fim de semana, que o governo americano não teria outra opção a não ser estatizá-las.

Segundo esse jornal, a recapitalização, pelo governo, da Fannie Mae e da Freddie Mac diluiria as suas ações, prejudicando os acionistas. Rogoff disse que os aportes bilionários dos fundos soberanos da Ásia e do Oriente Médio nas duas companhias não necessariamente resultariam em grandes ganhos porque não levam em conta a situação geral do mercado imobiliário.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG