O governo federal decidiu cortar R$ 21,805 bilhões das despesas do Orçamento da União em 2010. De acordo com documento divulgado nesta tarde pelo Ministério do Planejamento, o corte se deve a uma previsão de redução na receita líquida de R$ 17,773 bilhões em relação à Lei Orçamentária de 2010.

O corte nas despesas considera também o aumento e R$ 3,968 bilhões da previsão de déficit das contas da Previdência Social em relação à estimativa que foi considerada na lei orçamentária. O governo manteve no decreto de programação orçamentária a meta de superávit primário das contas do setor público de 3,3% do PIB, o equivalente a R$ 113,902 bilhões. As contas do governo federal terão de registrar um superávit de 2,35% do PIB (R$ 81,112 bilhões). Desse total 2,15% do PIB para o governo central (R$ 74,209 bilhões) e 0,20% do PIB para as estatais federais (R$ 6,903 bilhões). Os Estados e municípios terão de apresentar superávit primário de 0,95% do PIB (ou R$ 32,790 bilhões).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.