Tamanho do texto

RIO - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta segunda-feira que o governo brasileiro trabalhará para que a economia nacional cresça na casa dos 4% no ano que vem, apesar de estimativas do mercado apontarem uma alta ao redor de 2,5% a 3%. Não haverá um único projeto parado por conta da crise, afirmou Lula, que participa de reunião de cúpula Brasil - União Européia, que ocorre no Rio.

O Banco Central divulgou hoje que estima crescimento de 3,2% em 2009.

"Enfrentamos crises procurando novos paradigmas, porque se enfrentarmos essa crise com os paradigmas monetários que a criaram, não vamos resolvê-la no curto prazo", acrescentou o presidente.

Lula voltou a culpar a especulação financeira pela turbulência internacional e respondeu às críticas dos que o acusam de ser excessivamente otimista sobre a situação econômica brasileira. Segundo ele, os incentivos ao consumo acontecem porque essa é a única solução para reverter o atual quadro.

"Sou um otimista. As pessoas acham que eu deveria ir para a televisão chorar, dizer que a crise acabou com o país, mas eu sou o maior estimulador da retomada econômica", disse o presidente. "Faço mais propaganda do que muitos empresários, que deveriam fazer essas propagandas em relação a seus produtos", completou Lula.

Leia mais sobre crise financeira