Tamanho do texto

BRASÍLIA - O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, disse hoje que ao contrário do que ocorria em anos anteriores, o governo decidiu segurar e não vai liberar recursos extras do Orçamento nestes últimos dias do ano. Depois de se reunir com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Bernardo anunciou o remanejamento de R$ 680 milhões em despesas de custeio da máquina pública, embora não tenha assinalado quais ministérios perderam e quais serão beneficiados.

Ele disse que, amanhã, mais R$ 90 milhões serão destinados ao ProJovem, projeto de inclusão social de brasileiros entre 18 e 29 anos na área de educação.

O ministro também informou a transferência de cerca de R$ 650 milhões do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), de obras com cronogramas em atraso para outras "que apresentam bom andamento e têm condições de execução " .

O remanejamento inclui obras novas, que ainda estavam no papel, completou ele, embora sem citar exemplos de obras que agora terão recursos novos.

(Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.