São Paulo, 23 - O número de trabalhadores libertados de condições análogas à escravidão em 2008 no País foi de 5.244, segundo dados da Campanha Nacional de Prevenção e Combate ao Trabalho Escravo, promovida pela Comissão Pastoral da Terra (CPT).

Destes, 49% eram mão-de-obra do setor sucroalcooleiro.

Os números apontam ainda que a pecuária foi a segunda atividade que mais usou trabalho escravo em 2008, com 1.026 trabalhadores postos em liberdade. A região com a maior quantidade de resgatados foi a Centro-Oeste, seguida por Nordeste e Norte.

Conforme a Campanha Nacional da CPT, entidade ligada à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), os Estados líderes em denúncias de aplicação de mão-de-obra escrava foram Pará, Maranhão, Mato Grosso e Tocantins.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.