Caixa liberou R$ 20,4 bilhões em financiamentos imobiliários até novembro http://ultimosegundo.ig.com.br/economia/2008/12/02/caixa_assina_primeiros_contratos_de_capital_de_giro_para_construtoras_3102308.html target=_topCaixa assina primeiros contratos de capital de giro para construtoras" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Governo reduz juros do financiamento habitacional para quem ganha até R$ 2 mil

SÃO PAULO - Trabalhadores com renda de até R$ 2 mil terão juros mais baixos para o financiamento imobiliário. O Conselho Curador do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) aprovou nesta terça-feira a redução das taxas nos financiamentos habitacionais com recursos do FGTS. Para esta faixa salarial, o custo dos empréstimos passará de Taxa Referencial (TR) mais 6% ao ano, para TR mais 5% ao ano. http://ultimosegundo.ig.com.br/economia/2008/12/02/caixa_financiamento_habitacional_e_recorde_ate_novembro_3101905.html target=_topCaixa liberou R$ 20,4 bilhões em financiamentos imobiliários até novembro http://ultimosegundo.ig.com.br/economia/2008/12/02/caixa_assina_primeiros_contratos_de_capital_de_giro_para_construtoras_3102308.html target=_topCaixa assina primeiros contratos de capital de giro para construtoras

Redação com Agência Estado |

Para o interessado que tiver saldo no FGTS, a taxa de juros cairá para TR mais 4,5% ao ano. A nova regra a partir do ano que vem. Os financiamentos serão liberados para imóveis avaliados em até R$ 80 mil.

O Conselho aprovou ainda uma linha de crédito de R$ 3 bilhões para construtoras. Esta operação será feita pela compra de debêntures (títulos emitidos pelas empresas) ou cotas de fundos imobiliários que vierem a ser criados pelas construtoras. O objetivo da medida é compensar a escassez de crédito no mercado bancário.

O custo nessas operações será da TR mais 7% ao ano, quando se tratar de projeto de habitação popular. A conta sobe para TR mais 9% ao ano nos demais tipos de projetos. Também foi autorizada a compra de até 80% do empreendimento por meio desta linha.

O diretor-executivo da vice-presidência de Incorporação Imobiliária do Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais de São Paulo (Secovi-SP), Celso Petrucci, avalia que a linha de crédito para construtoras vai contribuir para dar mais liquidez ao setor num momento em que os bancos estão mais seletivos na concessão de crédito.

A expectativa do representante do Secovi-SP, que também faz parte do Conselho Curador do FGTS, é que sejam financiadas entre 35 mil e 40 mil unidades com os recursos anunciados nesta terça-feira.

Leia mais sobre: Financiamento imobiliário 

Leia tudo sobre: financiamentos habitacionais

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG