O governo divulgou nesta tarde nova tabela do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para automóveis, com o intuito de estimular o consumo. A tabela, que vale até março do ano que vem, é a seguinte: carros de até 1.

000 cilindradas terão alíquota reduzida de 7% para zero; carros acima de 1.000 cilindradas até 2.000 cilindradas movidos a gasolina terão IPI reduzido de 13% para 6% e movidos a álcool ou flex, de 11% para 5,5%; carros acima de 2.000 cilindradas terão IPI mantido em 25% para os a gasolina e em 18% para os a álcool e flex; picapes de até 1.000 cilindradas terão redução do IPI de 8% para 1%; e de 1.000 até 2.000 cilindradas terão redução de 8% para 4% no IPI.

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge, afirmou há pouco que as montadoras se comprometeram a repassar para os preços ao consumidor as reduções do IPI. "E isso é de fácil verificação. Se não houver transferência para os preços, chamaremos o setor para discutir a situação", disse.

Segundo ele, não há um compromisso das montadoras de não demitir os trabalhadores do setor, mas, de acordo com o ministro, as empresas disseram que vão fazer todo o esforço para preservar os empregos. "Não é uma contrapartida, será um esforço das montadoras para manter o emprego. E nós acompanharemos o nível de emprego do setor", afirmou.

A desoneração do IPI, segundo Miguel Jorge, já valerá a partir de amanhã e se encerra em 31 de março de 2009.

O Ministério da Fazenda estima que a desoneração temporária do IPI para automóveis vai significar uma renúncia fiscal de R$ 1 bilhão.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.